Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Crescendo rapidamente nos últimos anos, a capacidade instalada no país para geração de energia a partir dos ventos chegou a 13 GW. É o suficiente para abastecer 24 milhões de residências por um mês.

O Brasil chegou recentemente a 13 GW de capacidade de geração de energia eólica, segundo divulgou a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) nesta semana. são 518 parques eólicos, totalizando mais de 6,5 mil aerogeradores em funcionamento.

Parque Eólico Mangue Seco, no Rio Grande do Norte. O Estado é o principal gerador de energia eólica no Brasil (Imagem: Divulgação/Ministério do Planejamento)

Isso significa, de acordo com a entidade, que a energia eólica brasileira já seria capaz de abastecer 24 milhões de residências por mês, ou 10% do país por alguns meses. E o crescimento deve ser intensificado nos próximos anos.

“Esta é uma marca muito significativa, é importante comemorar, mas sem jamais perder nossa visão de futuro. Em construção ou já contratados há mais 4,8 GW, divididos em 213 parques eólicos que serão entregues ao longo dos próximos anos, até 2023, levando o setor para próximo da marca de 19 GW”, destaca Elbia Gannoum, presidente executiva da Abeeólica.

São 12 estados brasileiros gerando energia a partir dos ventos – com destaque para o Nordeste. Veja a lista:

EstadoCapacidade instalada (MW)Parques eólicos
Total13.005,96518
Rio Grande do Norte3.722,45137
Bahia2.594,54100
Ceará1.950,4675
Rio Grande do Sul1.831,8780
Piauí1.443,1052
Pernambuco781,9934
Santa Catarina238,5014
Maranhão220,808
Paraíba157,2015
Sergipe34,501
Rio de Janeiro28,051
Paraná2,501

O crescimento dessa modalidade traz benefícios não só ao meio-ambiente, mas também à economia brasileira. Já são mais de 195 mil postos de trabalho no segmento da energia eólica, e, para cada MW instalado, 15 novas posições são criadas direta e indiretamente.

Destaque internacional

Mesmo antes de chegar aos 13 GW de potência instalada, o Brasil já havia sido destaque no último relatório do Conselho Global de Energia Eólica (Global Wind Energy Council, ou GWEC, em inglês). Ao fechar 2017 com 12,7 GW, o país passou o Canadá e se colocou na oitava posição entre os maiores geradores de energia eólica do mundo. Foi também o sexto país que mais adicionou capacidade em 2017, se aproximando da França, que teve um acréscimo mais modesto. Confira na tabela abaixo, já com a capacidade brasileira atualizada:

PaísPotência instalada (MW)Porcentagem da geração global de energia eólica
China188.23235%
Estados Unidos89.07717%
Alemanha56.13210%
Índia32.8486%
Espanha23.1704%
Reino Unido18.8723%
França13.7593%
Brasil13.0062%
Canadá12.2392%
Itália9.4792%
Resto do mundo83.00815%

“Em 2012, nós éramos o 15º país do ranking, com pouco mais de 2,5 GWs instalados, nem figurávamos entre os dez primeiros. Desde então, estamos subindo de maneira consistente e ainda há espaço para subir mais um pouco”, analisa Elbia.

A geração de energia eólica é uma novidade no século 21. Em 2001, mostra o GWEC, eram apenas 23,9 GW instalados de potência em todo o mundo. Em 17 anos, o número chegou a 539,5, crescendo em ritmo elevado todos os anos.  

Total
3
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: