Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

ONGs, associações e outras entidades sem fins lucrativos podem se inscrever para receber R$ 100 mil em suas iniciativas.

Indústria causa poluição, emissão de co2
Reduzir emissão de gases que causam o efeito estufa é a prioridade do programa Ecomudança

O Itaú Unibanco lançou a décima edição de seu programa de incentivo a projetos sustentáveis Ecomudança. Até o dia 12 de abril, entidades sem fins lucrativos como ONGs, fundações, movimentos sociais e associações podem cadastrar projetos que queiram desenvolver visando reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa. As ideias que forem aprovadas receberão apoio financeiro de R$ 100 mil para desenvolver as iniciativas.

A leitura do edital e a inscrição de projetos podem ser feitas no endereço ecomudanca.ekos.social/

Até hoje, nas nove edições do programa já foram investidos R$ 6 milhões em 57 projetos, de acordo com o banco. O valor vem do fundo de renda fixa Ecomudança, que o Itaú criou para clientes preocupados com a sustentabilidade. “O objetivo é oferecer aos clientes do banco a oportunidade de investir seu capital em algo que proporcione um benefício adicional ao retorno financeiro, que nesse caso, são projetos socioambientais que promovam impacto positivo nas regiões em que atuam”, descreve o banco.

A edição atual tem foco na redução de emissão de gases, que pode acontecer via projetos envolvendo energia renovável, manejo de resíduos, florestas e agricultura sustentável, por exemplo. Um diferencial será a possibilidade de gerar renda aos envolvidos na aplicação das ideias, aumentando seu potencial de replicabilidade.

As etapas do processo seletivo no programa Ecomudança (Imagem: reprodução/Itaú e Instituto Ekos)

“Percebemos a transformação que o Ecomudança promoveu na vida dos participantes dos projetos, no desenvolvimento das comunidades e até mesmo no aumento da renda das famílias beneficiadas, uma vez que o apoio financeiro permite a estruturação e expansão das iniciativas. O programa nos mostra que é possível estabelecer uma relação de ganho para investidores, meio ambiente e sociedade”, diz a superintendente de Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú Unibanco, Denise Hills.

Após as inscrições se encerrarem em abril, visitas técnicas serão realizadas nas entidades durante os meses de junho e julho. A coordenação da seleção ficará por conta do Instituto Ekos Brasil, com supervisão do Itaú Unibanco.

Total
5
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: