Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Estádio Luzhniki, palco da abertura e final da Copa do Mundo da Rússia, em Moscou, recebeu certificação sustentável exigida pela FIFA. Todas as arenas atingiram os padrões requisitados.

Luzhniki Stadium tem certificação sustentável
Foto: Divulgação FIFA/Luzhniki Stadium

A Copa do Mundo da FIFA – que começa hoje na Rússia – está com a atenção do mundo voltada para si. O maior evento esportivo do mundo sabe que, para além do esporte, tem um enorme impacto em diversos aspectos que afetam a sociedade do País anfitrião. Dentre o tão falado legado da Copa do Mundo, a Rússia terá um novo padrão sustentável especialmente adaptado para a certificação de estádios de futebol.

A FIFA – Federação Internacional de Futebol – já possui uma série de requisitos obrigatórios para certificação verde de todos os estádios oficiais que servem como sede dos jogos. O novo padrão foi desenvolvido com base nestes requisitos por um grupo de especialistas que atuam para o Ministério dos Recursos Naturais e do Meio Ambiente da Rússia, com apoio do Comitê Organizador Local da Federação. A medida foi implantada em 2016 e representa um grande avanço legislativo, garantindo que a indústria de construção do país-sede acompanhe os padrões internacionais de construção sustentável e os marcos legais vigentes para tal atividade.

Certificação sustentável

A certificação “green building” dos estádios oficiais da Copa do Mundo da Fifa 2018 leva em conta requisitos da FIFA, normas internacionais de construção e legislação russa, além de incluir conceitos de arquitetura, construção, engenharia e planos de instalações. A certificação também engloba as especificações para normas ambientais russas, eficiência energética e compatibilidade ambiental dos locais.

Até a data de hoje, quando a FIFA dá o pontapé inicial do evento, os doze estádios já passaram por um grande processo de certificação sustentável, seja pela nova certificação dos padrões russos, seja pela certificação internacional BREEAM – como, por exemplo, os estádios Luzhniki e Spartak, em Moscou, e o Fisht, em Sochi.

As construções das arenas esportivas alinhadas com os padrões da sustentabilidade não apenas reduzem o impacto da construção no meio ambiente, mas, também, determinam o seu uso futuro de maneira sustentável, como um baixo consumo de água e energia. “Os estádios são fundamentais em nossos esforços para organizar uma Copa do Mundo com êxito e de maneira mais sustentável. É por isso que a FIFA tornou a certificação sustentável obrigatória para todas as arenas usadas no evento”, diz Fatma Samoura, secretária-geral da FIFA.

Luzhniki: principal palco da Copa

Moscou, capital da Rússia, é a principal praça do torneio e casa do Estádio Luzhniki – que recebe a abertura e a final da Copa do Mundo. Construído em 1956 e fechado para reforma em 2013, a reinauguração ocorreu em 2017. Neste caso, as decisões relativas aos padrões sustentáveis e à eficiência ambiental da instalação foram incorporadas ao projeto desde os primeiros estágios.

Dentre as ações tomadas, a conservação de energia no estádio é alcançada por meio de modernos sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado, reunindo todos os utilitários essenciais em um único sistema central automatizado. A tecnologia permite que o monitoramento e o controle completos da quantidade de energia que o prédio está consumido sejam feitos com maior praticidade, de modo instantâneo e mais assertiva.

O uso de lâmpadas LED também ajuda na economia significativa de energia elétrica, que não engloba apenas o lado de dentro do estádio, mas, também, o seu entorno. Em relação à redução do consumo de água, as tecnologias e soluções implantadas no Luzhniki permitem que centenas de milhares de litros de água sejam economizadas durante uma partida em plena capacidade operacional.

Por fim, grandes espaços verdes e um elevado número de árvores já presentes nas proximidades da arena foram preservados durante a reconstrução deste histórico estádio, que atende 81 mil pessoas em Moscou. Mais vegetação foi plantada, como 1.050 árvores e arbustos e 15.700 metros quadrados de canteiros de flores.

“Estamos muito satisfeitos com os esforços empreendidos pelo grupo de trabalho de padrões sustentáveis da Rússia. O Comitê Organizador Local e o Ministério de Recursos Naturais e Meio Ambiente da Federação Russa e nós acreditamos que este novo padrão para edifícios sustentáveis ​​se tornará um importante legado da Copa do Mundial da FIFA 2018”, conclui Samoura.

Fonte: FIFA.

 

Total
16
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: