Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Davines Village, na Itália, apresenta soluções sustentáveis em relação ao uso de energias renováveis, redução de resíduos, otimização de recursos naturais e economia de recursos não renováveis. Além disso, possui uma extensa área verde que a protege da emissão de gases vindos da estrada local.

Davines Village apresenta soluções sustentáveis, como o uso de energias renováveis
Foto: Divulgação/Grupo Davines

O Grupo Davines – especializado em produtos profissionais para cuidados com cabelo e pele –inaugurou sua nova sede nos arredores de Parma, na Itália. O projeto arquitetônico carrega diversos valores sustentáveis e de bem-estar e foi concebido para comunicar a mensagem de profundo cuidado com s pessoas e o meio ambiente.

Alinhada com o espírito que guia todas as atividades do Grupo Davines, características como transparência, leveza, natureza, sustentabilidade, comunidade e bem-estar foram utilizadas para expressar seu conceito através do plano geral, seja escolha de materiais seja nas técnicas de construção sustentáveis implantadas. O Davines Village está localizado em uma área total de 77 mil metros quadrados, sendo 80% destinado para áreas verdes e 20% – ou seja, 11 mil metros quadrados – para o complexo.

Ações sustentáveis

A abordagem geral do Davines Village é focada em energia sustentável, redução de resíduos, otimização de recursos naturais e economia de recursos não renováveis.

A política responsável de energia da empresa é expressa por meio de inúmeras escolhas. Em primeiro lugar, a integração de um sistema de comunicação e controle interconectados com um Sistema de Gestão de Edifícios e Energia (BEMS – em inglês Building Energy Management System) que pode ter impacto em todos os principais protocolos de sustentabilidade.

A demanda de energia do complexo é completamente atendida por fontes renováveis 100% certificadas, como painéis fotovoltaicos, sistema solar térmico, sistema de dutos de ar e geotérmico – o qual pode funcionar durante o ano todo, explorando um aquífero subterrâneo cuja água é devolvida ao solo, mantendo assim um nível constante. Desta maneira, a necessidade do consumo de energia artificial foi reduzida através da compensação direta pelo uso de fontes renováveis que são, quase totalmente, consumidas instantaneamente.

Vale destacar outras ações sustentáveis colocadas em prática no Davines Village, como o uso de filtros especiais que garantem uma qualidade de ar quase estéril na fábrica de produção, cujos requerimentos são muito próximos dos exigidos na indústria farmacêutica. A contaminação micro bacteriológica também é prevenida na água utilizada durante o processo de produção, que pode chegar a temperaturas próximas a zero graças ao sistema de osmose usado.

O complexo também conta com 10 estações de recarga para veículos elétricos e um sistema de processamento e compostagem de resíduos orgânicos, que são utilizados posteriormente nas áreas verdes do espaço. Iniciativas também são tomadas no cotidiano dos colaboradores, como o uso de canecas, copos e talheres descartáveis, a eliminação de cápsulas de café e outras bebidas em garrafas plásticas.

Estrutura

Local possui extensa área verde que protege a área da emissão de gases vindos da estrada local
Foto: Divulgação/Grupo Davines

A estrutura do Davines Villge foi desenvolvida a partir do conceito “lar”, com o intuito de enfatizar as raízes familiares da empresa e transmitir a sensação de boas-vindas, intimidade e comunidade. A arquitetura reinterpreta de maneira contemporânea arquétipos tradicionais das típicas habitações rurais italianas. O local inclui espaços dedicados para escritórios, treinamentos, laboratório de pesquisa e desenvolvimento, fábrica de produção, depósito e uma grande estufa central usada como restaurante e área de co-working.

Os prédios onde ficam os escritórios, as áreas dedicadas aos treinamentos e os laboratórios lembram as formas de muitas casas de dois andares, organizadas em torno de dois pátios centrais. Feitos de titânio, zinco, madeira e vidro e com a menor quantidade possível de elementos de alvenaria, os espaços são projetados para alcançar máxima transparência e proporcionar uma vista das áreas verdes em todas as estações de trabalho.

A vida dos colaboradores gira em torno de uma grande estufa de vidro central, uma construção moderna e leve que representa o coração pulsante do complexo. Ela abriga o restaurante da empresa e um bar, além de ser vista como um espaço de co-working disponível para todos os colaboradores.

Foi dada a preferência para materiais como a madeira combinada a um particular tipo de vidro que, além da proteção, garante uma vista dos espaços externos sem distorções de cor. Além disso, foi usado também cimento TX, uma qualidade patenteada que retém partículas finas através de um processo similar à fotossíntese e, então, as decompõem bloqueando seus impactos negativos.

Já a parte de interiores foi projetada com móveis e acessórios com particular cuidado na seleção e escolha de materiais e na definição de acabamentos.

Áreas verdes

As áreas verdes do Davines Village são formadas por diversos tipos de vegetação abundante, que estão em constante diálogo com a arquitetura do complexo. O projeto incluiu diferentes jardins, como um jardim científico de vegetais – no qual são cultivadas algumas das espécies de plantas usadas na formulação de cosméticos – e o Quilômetro Verde – uma faixa de vegetação que tem a função de proteger a área da emissão de gases vindos da estrada local –, além de espaços que se desenvolvem harmoniosamente por meio dos pátios internos.

O pátio sul é um exuberante jardim que abraça um grande recurso d’água no meio. A vegetação exibe uma hábil combinação de arbustos e plantas herbáceas junto com esculturas de plantas e árvores altas. As flores são predominantemente brancas, evocando sensações de pureza e frescor. A piscina central com plantas aquáticas reflete a geometria vista nas casas e na estufa, criando um impressionante efeito visual. Já o pátio norte foi projetado para ser uma área de relaxamento para os colaboradores. Naturalmente sombreada, graças à presença de árvores pendendo, e com canteiros de flores ornamentais em torno do perímetro. Esta é uma área verde mais estruturada e funcional.

O Jardim Vegetal Científico representa uma espécie de laboratório a céu aberto. Ele inclui plantas aromáticas e medicinais, árvores frutíferas e vegetais plantados para experimentação, informação e comida. Desta maneira, o laboratório de pesquisa e desenvolvimento pode provar e testar ingredientes naturais para suas próprias formulações, enquanto as espécies comestíveis são usadas no restaurante. Em uma extensão de 3 mil metros quadrados, ele também tem um propósito educacional, no qual os visitantes podem compreender de onde vêm os ingredientes naturais usados nos produtos da empresa. Plantas tropicais que não cresceriam na região são abrigadas em uma estufa de estilo inglês.

Por fim, o grande jardim em torno do complexo de prédios evoca a paisagem típica de seus arredores e possui um prado aparado em diferentes alturas. Sua função é criar continuidade entre o Jardim Vegetal Científico e a faixa verde que faz fronteira com o lado norte do jardim e fará parte do Quilômetro Verde. Baseado em estudos do Laboratório Internacional de Neurobiologia Vegetal da Universidade de Florença, o Quilômetro Verde é um projeto que envolverá todas as empresas de Parma com vista para a rodovia A1 e consiste em plantar árvores que, naturalmente, combatem as emissões de gases dos automóveis. Os primeiros 300 metros experimentais estão sendo instalados pela Davines Village. O objetivo é replicar este cinturão verde ao longo dos 11 quilômetros de rodovia que cruzam a região.

Total
42
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: