Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A Casa Sustentável Leroy Merlin é um exemplo real de como a sustentabilidade pode ser aplicada no nosso cotidiano, proporcionando benefícios para nós mesmos, para as nossas finanças e para o meio ambiente.

Casa Sustentável Leroy Merlin foi construída em patrimônio histórico
Casa Sustentável Leroy Merlin recebeu grande movimentação de visitantes

Um dos espaços mais celebrados da Casa Cor São Paulo 2018 é a Casa Sustentável Leroy Merlin, vencedora de um concurso nacional organizado pela mostra em parceria com a Inovatech Engenharia. O projeto é assinado pelas arquitetas Gabriela Lotufo e Larissa Oliveira e aplica conceitos de sustentabilidade de diversas maneiras, como na construção e reforma do local, escolha de materiais e produtos, uso consciente de recursos naturais e na criação de hábitos sustentáveis dos usuários.

A casa transformada para dar vida a este projeto é um patrimônio histórico do Jockey Club – local que recebe a Casa Cor em São Paulo –, assim, um dos primeiros critérios estabelecidos pelas arquitetas foi aproveitar ao máximo o que a edificação tinha a oferecer e ter a mínima intervenção possível. “Seguimos a nossa diretriz inicial de fazer uma reforma preservando o imóvel tombado, ao mesmo tempo em que associamos questões sustentáveis em vários níveis do projeto”, afirma Larissa.

O planejamento contemplou a ideia de uma residência completa de 85 m² para três moradores, uma realidade que já é comum em apartamentos, por exemplo. Dessa forma, os espaços montados foram hall, cozinha integrada com salas de jantar e estar, espaço compartilhado para se vestir – com armários embutidos –, dois dormitórios, área de descanso, banheiro integrado com a lavanderia e um cômodo adaptável, que, no caso, foi transformado em oficina.

Confira a seguir as principais soluções aplicadas na Casa Sustentável Leroy Merlin.

Construção

Cozinha e sala de jantar da Casa Sustentável Leroy Merlin
Foto: Divulgação/Casa Cor São Paulo

Pensando em não impactar o patrimônio histórico e atender o compromisso sustentável assumido pela Casa Cor, a construção seca utilizou painéis de madeira laminada cruzada (CLT – em inglês, Cross Laminated Timber) para dividir o ambiente principal da casa. CLT são peças estruturais e pré-fabricadas que, segundo Larissa, já são usadas em prédios de 18 andares. O painel foi essencial para evitar intervenções na casa. “Nós trouxemos os painéis com um desenho de corte já pensando em ter o menor desperdício possível, de modo que os módulos que dividem o núcleo central da casa se tornassem alto cortantes, evitando a produção de resíduos na montagem e desmontagem. Dessa maneira, eles só se apoiam no piso original da casa, sem danificá-los”, explica a arquiteta.

O lado externo da Casa Sustentável Leroy Merlin manteve a mesma originalidade do patrimônio, inclusivo nas cores de tinta. O mesmo aconteceu para outros itens, como o piso, as janelas e o telhado. A restauração do piso – que é de madeira de demolição – foi executada com aplicação de stain à base de água. Ele ainda é mesclado com um modelo de piso vinílico da Duratex (Durafloor) de matiz similar, que contém material reciclado em sua composição e, após a desinstalação, também pode ser direcionado para um processo de reciclagem.

As janelas receberam aparos e restauração – visto que algumas nem sequer abriam – para a realização do projeto, que manteve até mesmo a cor original. Também foi aproveitado para criar uma ventilação cruzada ao deixar as janelas abertas – uma em cada canto da casa –, assim, fazendo uma corrente que ajuda a circular o ar dentro do ambiente. Isso é benéfico para a saúde dos moradores e evita o acúmulo de calor.

Gabriela também destaca o porcelanato utilizado no banheiro. “Por si só, o porcelanato já tem uma pequena porcentagem de itens reciclados por conta do cimento reaproveitado na própria fábrica. Mas, o que realmente muda o ponto de vista é a forma como ele foi aplicado. Aplicamos sobre piso para que na hora da desmontagem o piso original esteja intacto.” Segundo a arquiteta, a paginação do porcelanato foi pensada para aproveitar os recortes feitos, assim, todos eles foram usados para fazer os rodapés do ambiente. “Isso torna a perda de material realmente pequena e ajuda a reduzir o entulho na montagem do projeto”, completa Gabriela.

Materiais sustentáveis

Salas integradas da Casa Sustentável Leroy Merlin
Foto: Divulgação/Casa Cor São Paulo

Na parte de materiais para acabamentos e decoração, a preferência foi para aqueles itens que poderiam oferecer um impacto menor ao meio ambiente. Mais do que apenas escolher materiais sustentáveis, é importante pensar além do básico e planejar como a aplicação de cada um pode contribuir para o resultado final da casa. “Por exemplo, toda a parte de instalação elétrica da Casa Sustentável Leroy Merlin é aparente, então, aproveitamos esta característica para fazer com que as arandelas fossem não só parte da construção, mas, também, da decoração”, explica Larissa. No caso, os cabos das arandelas foram utilizados para formarem desenhos, assumindo a proposta de instalação aparente como um item da decoração. Os benefícios dessa ideia para a sustentabilidade é a redução de entulho na obra, além de preservar o local como um patrimônio histórico.

Entre outros materiais sustentáveis escolhidos, é interessante destacar a cortina de PVC, o tecido do sofá e do encosto das poltronas – o qual é feito com 20% de PET e o restante de tecidos reciclados, chamados ecojeans – e as pastilhas de PET instaladas nas paredes da cozinha e do banheiro – este material é feito de garrafas plásticas recicladas, no qual cada m² dessa pastilha tira 66 unidades do planeta e 3 kg de gás carbônico, contribuindo para a remoção de produtos de difícil decomposição. Vale lembrar também do rodapé de isopor reciclado na sala e dos tijolinhos com vidros de lâmpadas fluorescentes em sua composição – este vidro é um resíduo difícil de dar destinação correta por conta dos produtos que contém, assim, incorporá-los no revestimento a ajuda na sua eliminação na natureza.

Recursos naturais

Oficina da Casa Sustentável Leroy Merlin
Foto: Divulgação/Casa Cor São Paulo

Todos nós sabemos que o uso correto e consciente dos recursos naturais é um dos pontos básicos da sustentabilidade. Afinal, além de preservar um bem natural – como água ou energia –, é possível obter números significativos em relação à economia financeira. Um dos exemplos adotados pela Casa Sustentável Leroy Merlin é a instalação de placas fotovoltaicas no telhado para captar a energia solar.

Em relação à economia de energia, há inúmeras tecnologias que podem tender a necessidade dos usuários de uma casa. Neste caso, o dormitório possui um sistema de automação das lâmpadas, no qual é possível acionar, desligar ou controlar a intensidade das luzes por meio do smartphone do usuário. Dessa forma, além de economizar energia, é possível criar diferentes ambientes para vários momentos do cotidiano dos moradores.

O destaque, porém, vai para outra tecnologia. A cozinha possui um sistema de gerenciamento de água – o Smart Link, lançamento da Deca –, o qual demonstra o volume que é consumido em tempo real. A solução ainda oferece outras funções que ajudam muito para a gestão do consumo de água nesta área da casa, como, a criação de um histórico que indica um padrão de consumo – assim, o sistema avisa se houver um desvio em relação à quantidade de água utilizada – e evita o desperdício por conta de vazamentos ou gotejamentos – uma vez que a solução fecha a rede de abastecimento sozinha caso haja indícios de algum problema.

Hábitos sustentáveis

Gabriela Lotufo e Larissa Oliveira, arquitetas responsável pelo projeto
Gabriela Lotufo e Larissa Oliveira, arquitetas responsável pelo projeto

Por fim, um dos pontos destacados pelas arquitetas responsáveis pela Casa Sustentável Leroy Merlin vem como um alerta para todos nós. “De nada adianta ter uma casa a qual é toda pensada com automação e sustentabilidade sendo que o morador não tem esta consciência”, diz Larissa. Para isso, algumas ideias foram implantadas no projeto, a fim de “plantar aquela sementinha do raciocínio sustentável”, completa Gabriela.

Um deles está logo na entrada do hall, onde foi inserida uma sapateira. A ideia é simples: tirar os sapatos antes de entrar em casa irá reduzir a quantidade de sujeira trazida de fora para dentro dos nossos lares. Consequentemente, esta ação reduz a quantidade de produtos de limpeza utilizados na manutenção do espaço, bem como de água e energia. É claro que a atitude não elimina totalmente a necessidade de limpeza da casa, no entanto, pode ajudar a mantê-la limpa por mais tempo.

Outra atitude está na cozinha, conforme explica a arquiteta Gabriela. “Resolvemos deixar todos os armários expostos para mostrar os potes e alertar para o hábito de consumo a granel. Isso ajuda a reduzir embalagens, principalmente plásticas. Todos os potes de armazenamento são de vidro, que é um material que pode ser reciclado e reutilizável com mais facilidade.” Ela ainda argumenta que esta é uma atitude que depende, prioritariamente, de cada um de nós. Basta criar o hábito de efetuar suas compras em locais que vendem produtos a granel – como mercadões de bairro, por exemplo – ou levar uma sacola reciclável quando for ao mercado.

Em relação à alimentação, o projeto da Casa Sustentável também atentou para o consumo de alimentos orgânicos, mais saudáveis e sustentáveis. Na horta feita na área externa, todos os vasos são auto irrigáveis, o que otimiza o uso de recurso natural. Além disso, a horta em si ajuda a fortalecer um raciocínio sobre produção de alimentos e diminuição de desperdícios, uma vez que a pessoa está em contato com as plantações.

“Estes são apenas alguns exemplos e dicas sutis que nós trouxemos para o projeto”, diz Larissa. Segundo ela, são produtos e materiais que já estão no mercado, só é preciso levar pra o nosso dia a dia e saber como aplicar em sua própria casa. “Acredito que seja mais fácil começar pelos hábitos sustentáveis, onde não tem gastos grandes e depende só da nossa atitude. O consumo consciente de água, o consumo de produtos a granel, o processo de reciclagem, entre outros, são algumas mudanças que já ajudam no desenvolvimento sustentável. Você não precisa ter uma preocupação de começar por algo grande, pode começar pequeno. O importante é começar”, finaliza a arquiteta.

Última semana

A Casa Cor São Paulo – uma das maiores mostras de arquitetura, design e paisagismo do País – acontece até o dia 29 de julho, no Jockey Club. Neste ano, o tema principal permeia o conceito da Casa Viva, o qual incentiva a criação de ambientes que evidenciam a experiência, integração e o convívio com a natureza. O evento assumiu o compromisso de sustentabilidade e aprovou somente construções secas, que causam baixo impacto ambiental ao local.

Esta é a última semana para conhecer a Casa Sustentável Leroy Merlin e outros projetos inovadores. Ao todo, são 81 espaços em exposição que apresentam as principais tendências para o mercado. Informações sobre a visitação e os ingressos podem ser conferidas no site oficial da mostra.

Total
6
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: