Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

O uso sistemas de automação predial traz vantagens para a gestão de um edifício, entre elas, a integração de equipamentos e áreas, coleta e análise de dados e segurança de informações.

Automação predial traz integração de equipamentos e áreas, coleta e análise de dados e segurança de informações
Foto: pxhere

Pensar em um edifício moderno hoje em dia é pensar em automação predial. O uso da tecnologia e de soluções inovadores traz inúmeras vantagens para a gestão de uma edificação, uma vez que estes sistemas são capazes de melhorar o desempenho do prédio, seja no funcionamento como um todo, seja em áreas e atividades específicas.

A construção civil é um setor que ainda briga com avanços tecnológicos, no entanto, a automação predial é uma das principais técnicas utilizadas no mercado. Desde o projeto do edifício, passando pela sua construção e chegando à sua gestão, é de extrema importância contar com a tecnologia à seu favor. “Realizar a implantação da automação predial no início da construção proporciona excelentes ganhos, pois conseguimos realizar um projeto multidisciplinar, garantindo que ele nasça da maneira mais eficiente possível e levando em consideração todos os equipamentos e suas especificações”, diz Adriana Teixeira, gerente de contas corporativas da Johnson Controls.

Vale destacar que ter em mente o sistema de automação predial durante a construção do edifício facilita a instalação da infraestrutura necessária para a operação da solução, uma vez que é possível dimensionar corretamente e seguir com o planejamento. Um edifício ocupado gera muitas limitações aos acessos e horário de trabalho. “Com a instalação do sistema de automação na construção também é possível aproveitar das vantagens de redução e controle dos custos de operação desde o início da vida do edifício, operando com alta eficiente e consumindo energia de forma eficaz”, completa Adriana.

Entre as principais características dos sistemas de automação predial disponíveis no setor de construção civil, podem-se destacar alguns aspectos: integração de áreas e equipamentos, facilitando a comunicação entre eles; interface intuitiva, possibilitando a visualização e os comandos de maneira fácil e por meio de qualquer dispositivo móvel; coleta e análise de dados, fornecendo informações sobre como melhorar a produtividade do prédio; e segurança, garantindo a segurança da rede e de informações por meio de criptografia, registro histórico e validação dos usuários com autenticação.

“A operação é fácil, rápida e eficiente. Fácil, pois o sistema de automação possui uma plataforma amigável em que é possível monitorar e comandar à distância e na palma de nossas mãos. É rápida porque disponibiliza acesso em tempo real, com alarmes pré-configurados para garantir a eficiência do ajuste ou verificação do sistema”, afirma a gerente da Johnson Controls.

Eficiência e sustentabilidade

Automação predial aumenta eficiência e sustentabilidade
Foto: pxhere

Um edifício operado com sistema de automação possui recursos capazes de alcançar altos níveis de eficiência e de sustentabilidade. Afinal, é possível ter um controle do consumo de recursos do prédio, bem como obter dados para identificar o que pode ser feito para melhorar o desempenho, além de ferramentas automatizadas que irão reduzir o gasto. “A automação proporciona um ambiente de maior controle ao edifício. Controle este que fornecerá informações para tomada de decisões e parâmetros que podem ser inseridos nos subsistemas existentes do prédio, de modo a criar um ambiente de melhoria contínua. Este ambiente gera impactos financeiros positivos ao empreendimento”, explica Mauro Peres, diretor comercial da Alert System.

Para Mauro, cada projeto – de acordo com as suas características – requer um sistema de automação predial, no entanto, recomenda-se um controle geral, sempre levando em conta as necessidades específicas de cada área do prédio. Os benefícios de um sistema unificado é ter acesso a uma base de dados centralizada para tomada de decisão, possibilidade de fazer correlações com os dados coletados – por exemplo, quantidade de pessoas versus consumo de água ou energia; metros quadrados versus consumo de recursos naturais –, além de gerar relatórios por meio de uma única plataforma.

“A integração de subsistemas, até então divididos, entrega de maneira ordenada e concisa informações antes dispersas. Este fator oferece ao empreendimento inteligência de modo a melhor aproveitar cada subsistema. A automação faz com que a soma das partes integradas forneçam maior valor do que estas separadas. Como resultado deste processo, temos eficiência”, afirma o diretor comercial da Alert System.

Todos estes recursos tecnológicos afetam também o nível sustentável da edificação, uma vez que eles ajudam a identificar pontos que podem ser otimizados e reduzidos. Um exemplo claro de automação sustentável são os sistemas que controlam a climatização e a iluminação dos prédios. De acordo com a American Society for Heating, Refrigeration & Air Conditioning Engineers (ASHRAE) – organização dos profissionais da área de aquecimento, refrigeração e ar-condicionado dos Estados Unidos –, 50% do custo de um edifício são decorrentes de sua operação. Deste percentual, 38% são referentes à climatização e 26% à iluminação.

Portanto, ter uma ação de automação predial focada nos sistemas de condicionamento de ar e iluminação trará um resultado muito relevante para a sustentabilidade. “A automação tem um papel fundamental para obtenção e controle do consumo energético eficiente, pois por meio de um sistema de automação criamos lógicas mais eficientes para o sistema de ar condicionado, no qual conseguimos garantir uma redução de 15% a 60% do consumo da energia, além de assegurar um ambiente confortável aos usuários”, diz Adriana. “Monitora e controla também a iluminação, assegurando que não haja desperdiço de energia. Com a automação, é possível controlar a iluminação medindo parâmetros de luminosidade para ligar as luzes somente quando necessário de acordo com os níveis de luz do ambiente interno ou externo”, completa.

A implantação do sistema de automação pode ser percebido pelo usuário e visitantes de diversas maneiras, desde sua chegada ao edifício por meio de integrações com o sistema de acesso, de câmeras, de incêndio, de ar condicionado e de iluminação, entre tantos outros. “Com a automação predial, parâmetros podem ser estabelecidos de modo a maximizar o conforto do usuário. Por exemplo, a temperatura ambiente, sonorização e iluminação ideais para atender a quantidade de pessoas presentes é uma das vantagens destes sistemas”, diz Mauro.

Case de sucesso

Um dos espaços mais amplos e arborizados do Rio de Janeiro – com uma área total de 78,4 mil m², sendo apenas 12,5% edificados –, o Centro Empresarial Mario Henrique Simonsen (CEMHS) investiu em um retrofit do seu sistema de automação predial para garantir o padrão de excelência em sua infraestrutura e o conforto desejado aos condôminos e visitantes. Vale destacar que o espaço comercial possui tripla certificação que atestam o seu desempenho: qualidade de gestão, gestão ambiental, saúde e segurança no trabalho.

Anteriormente, o monitoramento dos equipamentos do CEMHS era feito por um sistema antigo, o qual foi descontinuado. “O fabricante já não oferecia serviços adequados ou peças de reposição. Com o tempo e o desgaste natural, o sistema passou a ser 100% dependente do olhar de um colaborador para cada acionamento, sempre com monitoramento visual nos pontos críticos. A modernização se fez necessária”, conta Alexandre Roxo, diretor da RV Gestão – administradora do local.

Novo sistema do CEMHS é da Johnson Controls
Foto: Divulgação/CEMHS

A opção escolhida foi um sistema da Johnson Controls, que monitora principalmente a Central de Água Gelada (CAG) responsável pela refrigeração dos blocos do condomínio – ao todo, são sete blocos ocupados por grandes empresas. “Refrigerar sete blocos selados, mantendo as temperaturas de conforto em qualquer época do ano, é uma tarefa que exige máxima atenção e um investimento certeiro nos mecanismos de monitoramento e controle”, opina Alexandre.

O Metasys é um sistema aberto que utiliza um protocolo universal, portanto compatível com as instalações modernas e de alta tecnologia do CEMHS. A solução fica instalada em um computador dentro da Central de Controle. Por meio de telas gráficas, apenas um operador acompanha os parâmetros de funcionamento dos chillers, fancoils, bombas de refrigeração e de água potável, além de toda a iluminação externa do empreendimento.

A opção por este sistema trouxe para o condomínio mais confiabilidade e eficiência, além de importante redução de custos operacionais e nas contas de energia. “O controle automático e inteligente das áreas comuns de todos os blocos gerou economia de energia, que passou a ser usada na medida exata para a nossa necessidade. O novo sistema também foi responsável por uma significativa redução nos chamados de reclamações por temperatura (quente ou frio), o que facilita a operação”, diz o diretor da RV Gestão. “Outra vantagem que observamos é o fato de que, por ser  um sistema aberto, podemos fazer intervenções futuras sem grandes impactos nas operações”, finaliza.

Total
2
Shares

1 comment

  1. Nossa, que bacana hein! Tú parece ser uma pessoa
    que entende bem do tema, adorei especificamente do que Você falou na metade do artigo, adorei
    mesmo. Eu estava procurando um web site sobre nesse
    tema afim de começar a acompanhar. Agradeço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: