Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ferramenta on-line disponibilizada pela Cogen faz estimativa do benefício para empreendimentos que implantam o sistema de cogeração a gás natural.

Queima do gás natural é aproveitada para a geração de energia elétrica.
Queima do gás natural é aproveitada para a geração de energia elétrica. Foto: Pixabay

A Associação da Indústria de Cogeração de Energia – Cogen – lançou no final de agosto uma nova ferramenta on-line: um simulador que calcula o potencial de economia obtida a partir da implantação de um sistema de cogeração a gás natural para diversos tipos de empreendimento – como hotéis, edifícios corporativos, aeroportos, shopping centers, indústrias, entre outros.

A cogeração permite que, a partir de uma única fonte – neste caso, o gás natural – seja possível  gerar energia elétrica e, ao mesmo tempo, com os gases de escape e calor residual dos motores, gerar outra forma de energia — vapor ou água quente ou água gelada para ar-condicionado. “Nosso objetivo é demonstrar como um sistema de cogeração a gás natural é uma solução extremamente eficiente, que pode criar valor para um empreendimento diante dos elevados custos de energia elétrica”, afirma Newton Duarte, presidente-executivo da Cogen.

A simulação é simples e rápida, basta que o usuário tenha conhecimento das informações sobre o consumo de energia elétrica e térmica do empreendimento em questão. “O simulador vai guiando o usuário com uma pergunta por vez. Quem tem os dados de consumo em mãos ganha tempo e o resultado tende a ser mais próximo do real”, explica Silvia Troiani, coordenadora da Promon Engenharia – parceira no desenvolvimento da ferramenta.

Segundo Silvia, para tornar possível a avaliação de diferentes segmentos, foram utilizados parâmetros médios de consumo de energia de acordo com um perfil típico de cada empreendimento. “Levamos em conta o tipo de negócio para avaliar o benefício da cogeração. Por exemplo, um shopping center apresenta demanda de ar-condicionado, enquanto uma indústria apresenta demanda de vapor. Também tivemos o cuidado de configurar os dados de acordo com as tarifas das concessionárias de energia elétrica e de gás natural”, diz a coordenadora.

Como usar o simulador?

Simulador Cogen para cogeração a gás natural
Simulador é simples e rápido de usar. Foto: Reprodução/Cogen

Para iniciar o processo, o usuário precisa selecionar uma das oito opções de setores da economia — sendo sete no setor terciário (shopping center, hotel de alto e médio padrões, hospital, edifício corporativo, aeroporto e outros) e uma geral para as indústrias.

Apesar das perguntas serem similares, elas podem variar conforme o tipo de negócio. É preciso informar qual é a concessionário de energia elétrica do empreendimento, se há compra de energia no mercado livre — caso sim, qual é a tarifa aproximada e percentual de consumo —, modalidade tarifária na qual o estabelecimento está enquadrado, potência utilizada de ar-condicionado, entre outros.

Ao final do processo, o resultado é enviado ao respondente via e-mail. O simulador foi desenvolvido em parceria com a Promon Engenharia e conta com o patrocínio de diversos associados da Cogen. Acesse a ferramenta através do link: http://simulador.cogen.com.br.

Gás natural

O gás natural é um combustível fóssil e não renovável, no entanto, é considerado menos nocivo ao meio ambiente se comparado ao petróleo. Apesar de emitir uma quantidade menor de poluentes, ele não é 100% limpo e também tem a sua parcela de contribuição de gases de efeito estufa.

É bastante utilizado em indústrias, especialmente por aproveitar a sua queima para a geração de energia elétrica. O gás natural também é aplicado em residências — como gás de cozinha — e em automóveis adaptados para receber o recurso — substituindo combustíveis como gasolina, álcool e diesel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: