Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Canteiro sustentável traz sensibilização quanto aos riscos ambientais da construção, além de estimular o sentimento de pertencimento ao ambiente urbano e da educação ambiental.


trisul


canteiro de obras
Canteiro sustentável é essencial para a conquista de certificações verdes. Foto: Pxhere

A construção civil lida com a sustentabilidade há um bom tempo. O desenvolvimento sustentável é acompanhado por novas soluções e tecnologias que ajudam o setor a minimizar os impactos ambientais e, ainda, a terem uma influência positiva nos âmbitos social e financeiro. No entanto, os profissionais e agentes da construção já perceberam que não adianta focar apenas em resultados finais, é preciso pensar na obra toda como um exemplo de sustentabilidade. E, uma das etapas mais importantes para isso, é o canteiro de obras.

O canteiro de obras é, de certo modo, apenas um ciclo curto na vida de uma edificação. No entanto, ele é responsável por designar grande parte do desempenho da obra, tanto durante a sua construção quanto no resultado final. Desta forma, é imprescindível que todos os envolvidos na obra, desde o trabalhador de chão até o gerente, estejam cientes das práticas sustentáveis que aumentam a produtividade e a qualidade técnica das edificações e, também, sensibilizam o entorno da obra pra importantes questões ambientais.

O objetivo da sustentabilidade no canteiro de obras é trazer sensibilização quanto o risco de escassez de recursos naturais, da poluição e, ainda, estimular o sentimento de pertencer ao ambiente urbano. Há o benefício da educação ambiental, uma vez que as boas práticas aplicadas no canteiro sustentável são constantemente replicadas no entorno da obra e no próprio cotidiano dos trabalhadores e cidadãos. “A mudança ocorre pela sensibilização da sociedade e o exemplo transmitido, além da quebra de paradigmas e do resultado obtido das soluções implementadas. É uma conquista de cada um dos envolvidos”, afirma Ana Rocha, engenheira civil e diretora da proActive Consultoria.

Contudo, esta ainda não é uma prática recorrente no Brasil. Segundo Ana, a prática da implementação de ações sustentáveis no setor da construção civil ainda é considerada um custo. “Paradigmas e velhas crenças precisam ser desmitificadas. Seria importante definirmos e monitorarmos indicadores, de sorte a publicarmos os resultados obtidos nos canteiros de obras de baixo impacto ambiental, provando que ações sustentáveis são um dos principais investimentos, com retorno em curto prazo, indicando que tal prática, de fato, é um perfeito investimento”, diz.

Engenheira Dra. Clarice Degani, coordenadora executiva do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) e professora doutora em Tecnologia e Gestão da Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), compartilha a mesma visão. Para ela, a noção de sustentabilidade – como o uso racional dos recursos e o esforço pela minimização dos impactos ambientais – é usual no Brasil apenas nos aspetos que tangem as despesas diretas dos canteiros de obra e os impactos imediatos sobre a vizinhança.

“A prática com implicações mais abrangentes ainda não é recorrente”, afirma. “O desafio está em compreender os aspectos ambientais relevantes para cada canteiro e adotar rotinas objetivas para tratá-los. Isso está relacionado ao contexto e ao tempo de duração da obra”, completa Clarice.

Desafios e benefícios do canteiro sustentável

Canteiro sustentável: economia financeira e de recursos naturais.
Canteiro sustentável: economia financeira e de recursos naturais. Foto: Pxhere

Entre os principais desafios do canteiro sustentável, podem-se destacar pontos como limitar os incômodos sonoros e visuais, bem como à circulação de veículos, material particulado, lama e derramamento de concreto; minimizar a poluição do solo, da água e do ar; criar o hábito de uso racional de recursos e insumos naturais – especialmente não renováveis –, reduzindo o consumo de água na execução dos serviços e otimizando a eficiência energética; ter uma gestão de resíduos que privilegia a não geração e, quando necessário, assegurar a destinação ambientalmente correta; a observação das interfaces das rotinas do canteiro com a vizinhança, o trânsito local e a segurança e saúde dos trabalhadores; e, por fim, o aproveitamento da oportunidade para estimular o engajamento dos demais agentes da cadeia produtiva da construção civil, especialmente dos fornecedores de materiais e de serviços.

Para enfrentar estes problemas, Ana Rocha sugere algumas ações e soluções, como: “Aparelhos economizadores e uso de estação de tratamento de efluentes; implementar uma efetiva comunicação para todos os envolvidos, incluindo os vizinhos e os transeuntes; implementar a coleta seletiva; estabelecer espaços destinados para baias, acondicionando corretamente os materiais para beneficiamento; realizar constantemente a umidificação de áreas secas; calçar as vias do canteiro; realizar reuniões de sensibilização dos trabalhadores do canteiro de obras; planejar as atividades ruidosas, buscando a melhor solução para sua execução, por exemplo, otimizando o horário das atividades; utilizar ferramentas que gerem ruído apenas em último caso; adotar técnicas construtivas que diminuam os incômodos e poluição; e estabelecer metas e monitorar o consumo de recursos naturais”.

Apostar em um canteiro sustentável traz, de fato, benefícios quantitativos e qualitativos. Segundo Ana, “a influência na produtividade da obra e na qualidade final da edificação é direta. Um canteiro de baixo impacto ambiental é limpo, organizado, com diretrizes claras de trabalho e seguro para o colaborador”, afirma. Ela cita ainda, a redução de cursos durante a construção, uma vez que reduz o desperdício de materiais e insumos, e a valorização da imagem da empresa construtora perante a sociedade.

Clarice Degani lembra que o canteiro sustentável e o green building reduzem os riscos de processos erosivos e, até mesmo, de desmoronamentos, incêndios e explosões. Ela também “Uma vez que o uso racional de materiais, água e energia e a gestão de resíduos, requerem o planejamento antecipado do layout e dos processos que acontecerão no canteiro, tem-se automaticamente uma oportunidade de revisar e aperfeiçoar todos os processos de trabalho, o que traz ganhos em produtividade e em qualidade final do produto edificado”, afirma a coordenadora executiva do CBCS.

Valor da sustentabilidade

Entorno da obra também é beneficiado com o canteiro sustentável.
Entorno da obra também é beneficiado com o canteiro sustentável. Foto: Pxhere

Vale destacar que sustentabilidade não está ligada apenas aos impactos ambientais, há também uma importante relação com questões sociais e financeiras. “Ser sustentável significa ter equilíbrio entre o investimento financeiro e os resultados obtidos. Caso não ocorra este equilíbrio, não pode ser considerado sustentável. É preciso entender que se trata de um investimento”, diz Ana, diretora da proActive Consultoria.

Desta forma, não há um conta exata para dizer quanto custa implantar um canteiro sustentável na sua construção. Os custos variam de acordo com o patamar ao qual se deseja alcançar. Ou seja, quanto mais distantes as rotinas usuais estiverem da busca por uma maior produtividade com qualidade, maior será a diferença em custos – tanto para mais quanto para menos. O ideal é encontrar equilíbrio.

O sucesso da implantação de novas soluções sustentáveis na construção civil está diretamente associado ao poder de gestão da obra, dos trabalhadores e do empreendimento. Para a Prof. Dra. Clarice, é fundamental que a gestão elabore um planejamento antecipado que considere as especificidades de cada contexto em que o canteiro estará inserido. “Este planejamento também deve incluir os meios de comunicação e os conteúdos que permeiem cada uma das etapas do canteiro de obras, de modo a garantir o envolvimento e a participação dos trabalhadores”, finaliza.

Total
22
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: