Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Programa Fundo Clima, do BNDES, garante recursos para projetos sustentáveis que buscam mitigar o impacto sobre as mudanças climáticas. 

Fundo Clima foi criado em 2009
BNDES abre fundo de investimentos para pessoa física instalar projetos sustentáveis Foto: Divulgação

Em 2009, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) criou o Fundo Clima, programa que garante recursos em projetos ou estudos e financiamento de empreendimentos que tenham como objetivo diminuir os impactos sobre mudanças climáticas. Vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), este serviço é um dos instrumentos da Política Nacional sobre Mudança do Clima e se constitui como fundo de natureza contábil.

O Fundo Clima possui 10 subprogramas, nos quais os interessados podem buscar financiamento para a implantação de empreendimentos sustentáveis, bem como para a aquisição de maquinários e tecnologias em prol da redução da emissão de gases de efeito estufa e demais efeitos relacionados ao clima e meio ambiente. Para conseguir o financiamento, os projetos devem estar enquadrados em uma das seguintes categorias:

  • Mobilidade Urbana: com destino a projetos que contribuam na redução da emissão de gases do efeito estufa e de poluentes locais no transporte coletivo urbano e para melhoria da mobilidade em regiões metropolitanas;
  • Cidades Sustentáveis e Mudança do Clima: apoio a iniciativas que aumentem a sustentabilidade nas cidades, que melhorem a eficiência global e reduzam o consumo de energia e de recursos naturais;
  • Máquinas e Equipamentos Eficientes: destinado à compra de maquinários que possuem uma maior eficiência energética e que contribuam, de alguma forma, para a mitigação de gases de efeito estufa;
  • Energias Renováveis: suporte a investimentos em geração e distribuição local de energia renovável a partir do uso de biomassa, exceto a cana-de-açúcar, da captura da radiação solar, dos oceanos,e da energia eólica no caso de sistemas isolados;
  • Resíduos Sólidos: apoio a projetos de racionalização da limpeza nas cidades e disposição de resíduos com aproveitamento para geração de energia localizados em um dos municípios prioritários identificados pelo Ministério do Meio Ambiente;
  • Carvão Vegetal: destinado a investimentos para a melhoria da eficiência e sustentabilidade da produção de carvão vegetal;
  • Florestas Nativas: voltado a projetos associados ao manejo florestal sustentável; ao plantio com espécies nativas, incluindo a cadeia de produção; ao beneficio; e ao consumo de produtos florestais de origem sustentável; bem como ao desenvolvimento tecnológico destas atividades;
  • Gestão e Serviços de Carbono: destinado a projetos que melhorem a gestão de emissões de carbono ou que efetivamente reduzam as emissões de gases de efeito estufa;
  • Projetos Inovadores: projetos inovadores relacionados aos empreendimentos apoiáveis nos demais subprogramas do Programa Fundo Clima.

Os beneficiários podem solicitar até R$ 30 milhões por ano. Confira neste link quem pode se candidatar e quais são as condições e regras para ter o financiamento aprovado.

Financiamento para pessoa física

Em junho deste ano, o BNDES liberou o financiamento para pessoas físicas que querem investir em energia solar. O recurso está disponível a partir do subprograma Máquinas e Equipamentos Eficientes, do Fundo Clima.

O interessados podem solicitar o investimento para a aquisição de máquinas e equipamentos como sistemas geradores fotovoltaicos, aerogeradores de até 100 kW, motores movidos a biogás, inversores ou conversores de frequência e coletores/aquecedores solares, ônibus e caminhões elétricos, híbridos e outros modelos com tração elétrica e ônibus movidos a etanol.

Saiba mais sobre o financiamento para pessoa física neste link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: