Condomínio Horizon Residence Premium, da Tegra, implantou ações de preservação de recursos naturais, gestão de resíduos e canteiro sustentável.


green yearbook 2018


Horizon, empreendimento da Tegra
Certificação ocorreu quando a incorporada ainda respondia pelo nome de Brookfield Incorporações. Foto: Divulgação/Tegra Incorporadora

O Horizon Residence Premium de Campinas (SP) foi o primeiro empreendimento da Tegra Incorporadora a conquistar a certificação AQUA-HQE. A entrega do empreendimento foi realizada em 2014, quando a empresa ainda tinha o nome de Brookfield Incorporações – mudança que ocorreu em 2017.

Dividido em quatro torres que, ao todo, oferecem mais de 360 unidades habitacionais, o Horizon está localizado entre os dois bairros mais importantes da cidade: o Taquaral, com vista para a lagoa, e o Cambuí.

O certificado AQUA-HQE atesta o compromisso que o projeto teve, desde o seu início, em ser não apenas uma obra sustentável, mas, também uma operação eficiente. O projeto de arquitetura foi desenvolvido com materiais que favorecessem o conforto térmico e com soluções que priorizam a ventilação e a iluminação naturais, como os grandes caixilhos nos dormitórios.

Confira a seguir os principais diferenciais sustentáveis:

Sítio e construção: A Tegra buscou minimizar os efeitos negativos da obra no entorno, assim realizou contatos com os vizinhos, fez vistorias nas edificações antes de começar as atividades (com a emissão de laudos) e disponibilizou canais permanentes de comunicação com todos os envolvidos. Os trabalhadores passaram por frequentes treinamentos e orientações relacionadas ao bom uso do canteiro, coleta seletiva e respeito mútuo. A meta de valorização dos resíduos, por exemplo, atingiu 99%;

Eficiência no uso de água: O projeto buscou a utilização racional do recurso por meio da instalação de equipamentos economizadores e da sensibilização dos usuários, tanto moradores quanto profissionais. Com relação ao paisagismo, o projeto privilegiou espécies nativas, que demandam menor irrigação e evita desperdícios. A economia foi de 38,51% nas unidades habitacionais;

Energia e atmosfera: Para minimizar o uso do ar-condicionado foram tomadas algumas medidas como a especificação de isolante térmico na cobertura (argila expandida), projeto de arquitetura desenvolvido com materiais que favorecem o conforto térmico e soluções que priorizam a ventilação e iluminação naturais. Para o aquecimento da piscina foi entregue o sistema de aquecimento solar, que, além de reduzir o consumo, é uma fonte de energia renovável e limpa. Outros equipamentos seguiram a etiquetagem de eficiência energética nível A. A simulação realizada apontou uma redução de 28% no consumo de energia;

Gestão de resíduos: A Prefeitura Municipal de Campinas disponibiliza o serviço de coleta seletiva, portanto, o empreendedor e os projetistas disponibilizaram os meios necessários para viabilizar a coleta de recicláveis e viabilizaram a integração com o sistema. Também foi previsto um espaço para armazenamento dos resíduos na área de serviço com equipamentos para coleta seletiva das unidades habitacionais;

Operação e manutenção: A manutenção da edificação é garantida por meio de soluções eficientes, da execução adequada de todos os sistemas, disponibilidade de meios de acompanhamento que permitam a manutenção do desempenho e do acesso aos equipamentos e sistemas;

Conforto ambiental e saúde: Foram utilizados revestimentos adequados nas áreas úmidas para criar boas condições de higiene, bem como a especificação de pintura com características hidrofugantes ou que não degrade com a água. Para assegurar a qualidade sanitária do ar, o projeto de arquitetura foi desenvolvido de forma a privilegiar a ventilação natural, além de usar tintas à base d’água. Já para melhorar o conforto higrotérmico, projetaram-se aberturas com vidros dimensionadas de forma a propiciar iluminação natural sem comprometer o conforto dos usuários, especificação de vidros com coeficiente de sombreamento adequado nas unidades que recebem maior insolação, utilização de ventilação natural a partir da orientação das torres e utilização de isolamento térmico na cobertura. Para a qualidade da água, são realizadas limpezas das tubulações e reservatórios.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: