Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Studio Mariana Crego foi responsável pelo primeiro certificado AQUA-HQE para Projetos de Interiores no Brasil, além da Casa Sustentável da Casa Cor SP 2017.


green yearbook 2018


Mariana Crego
Mariana é formada pela FAAP e pós-graduada pela Escola da Cidade. Foto: Divulgação/Mariana Crego

Desde sempre a sustentabilidade esteve ligada ao Studio Mariana Crego, escritório de arquitetura, urbanismo e interiores fundado em São Paulo pela própria arquiteta.

Para Mariana, uma vez que a preocupação ambiental e social ainda não está totalmente presente nas veias da sociedade, as certificações cumprem um papel importante em identificar as melhores práticas sustentáveis, difundindo conhecimento e estimulando o avanço e o aprimoramento dos projetos.

A arquiteta é responsável pelo projeto pioneiro no Brasil – e um dos primeiros a nível mundial – a receber o certificado AQUA-HQE para Projetos de Interiores pelo espaço Mundo dos Sonhos (estande da rede de lojas Mundo do Enxoval instalado na mostra Casa Cor 2016, em São Paulo).

O selo é destinado para soluções ambientais que alinham questões estéticas a funcionalidade nos campos de arquitetura, design de interiores, decoração e tecnologia que são voltadas para espaços internos de escritórios, residências, salas de aula, lojas, halls, museus, entre outros espaços comuns.

Mariana também foi convidada para elaborar a Casa Sustentável, espaço que teve grande destaque na edição 2017 da Casa Cor São Paulo e que foi certificado pelo AQUA-HQE desde a obra até a construção.

“Eu diria que, atualmente, o desenvolvimento de projetos dentro das normas de sustentabilidade é uma das melhores formas de auxiliar na conscientização do mercado, pois torna o exercício prático e possível de ser visto de perto por qualquer leigo. Além disso, permite maior troca de ideias e experiências entre pessoas do ramo, assim como alavanca outros setores ligados ao tema”, afirma.

Conversamos com Mariana Crego para o caderno especial Arquitetos da Sustentabilidade do Anuário Green Yearbook 2018. Confira abaixo.

Qual é o papel do arquiteto para a sustentabilidade de uma construção?

O papel do arquiteto é primordial, principalmente no que diz respeito a propor a ideia para o cliente e, posteriormente, coordenar toda esta solução com a equipe e os fornecedores que estão envolvidos no projeto. Isso vai determinar grande parte do desenvolvimento da obra, respeitando a utilização de recursos naturais, de materiais e outros pontos, como prazo.

É fundamental também que todos os envolvidos no projeto tenham consciência do que é a sustentabilidade. Muitos clientes querem um projeto sustentável, mas não aplicam práticas básicas no próprio dia a dia, como a separação e destinação correta do lixo por exemplo. Assim, o arquiteto deve passar esta informação adiante, a fim de que todos estejam alinhados com este conceito.

Como entender a premissa de design com propósito para criar ambientes funcionais?

Acredito que o projeto de interiores é mais difícil que o arquitetônico, em termos sustentáveis. Isso porque as pessoas têm a tendência de imaginar que apenas a construção da edificação resulta em impacto ambiental e não a parte interna das mesmas, ressaltando o aspecto estético e mais pessoal e separando-o do sustentável. Até mesmo em relação aos materiais e produtos existentes no mercado ainda há este confronto de ideias e ausência de soluções eficientes que estejam de acordo com o gosto do cliente.

Então, é necessário ter soluções criativas, balanceando características sustentáveis dos produtos com o lado estético e, ainda assim, atendendo aos desejos dos clientes. É importante que o arquiteto esteja disposto a criar soluções e trabalhar com o que ainda não existe, pois assim conseguimos desenvolver melhor o mercado e apresentar ao cliente uma opção que contenha todos os benefícios que se espera de um produto inteligente.

Qual conceito sustentável o escritório adota em seus projetos?

Partimos sempre dos mesmos princípios sustentáveis independente do cliente querer buscar a certificação ou não. Buscamos soluções que atendam aos requisitos ambientais, financeiros e de responsabilidade social. Algumas coisas são básicas, como o posicionamento do empreendimento e das fachadas para otimizar o uso de recursos naturais, consumo consciente de água e energia, gestão de resíduos, entre outros.

O arquiteto tem que ser capaz de criar soluções eficazes e trabalhar à frente de seu tempo, testando novas soluções e desenvolvendo novas técnicas e materiais, o que significa, muitas vezes, trabalhar com materiais que ainda não existem e se arriscar a testar soluções ainda não comprovadas. Isso permite que o setor avance mais rápido, assim como a responsabilidade e a sustentabilidade.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: