Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Edifício comercial em Brasília, Centro Corporativo Portinari é o primeiro a alcançar o nível mais alto do LEED no Centro-Oeste.

Centro Corporativo Portinari
Empreendimento alcançou o nível LEED Platinum. Foto: Divulgação/Centro Corporativo Portinari

O Centro Corporativo Portinari, em Brasília (DF), é o primeiro edifício comercial LEED Platinum da região Centro-Oeste brasileira. O empreendimento agora faz parte de uma lista de aproximadamente 70 mil no mundo todo (cerca de 5%) que receberam o nível mais alto da certificação concedida pelo Green Building Council (GBC).

Idealizado pela Supera Engenharia, o empreendimento possui quase 15 mil m² de área construída, distribuído em quatro pavimentos e estacionamento. Ele se caracteriza por ser altamente moderno e tecnológico, além de se destacar pela capacidade de reconfigurar os seus espaços facilmente, proporcionar conforto aos usuários, aumento de produtividade com baixo custo operacional e de manutenção.

Para alcançar o nível exigido pelo GBC Brasil, as diretrizes sustentáveis atuaram para otimizar o desempenho em cinco premissas principais: terreno, água, energia, materiais e recursos e qualidade do ambiente interno.

“O Centro Corporativo Portinari é um projeto icônico para o Brasil e região Centro-Oeste. Dentre os diversos atributos que possibilitaram a certificação Platinum, destaco o alinhamento a diversos ODS da ONU e a inteligência predial instalada, que garantirá o alto desempenho, sustentabilidade e qualidade de gestão durante sua operação”, destaca Felipe Faria, diretor executivo do GBC Brasil.

Terreno sustentável

A escolha do terreno se deu por conta do aproveitamento da infraestrutura local, uma área urbana consolidada que possui fácil acesso aos modais de transporte público e empreendimentos comerciais. O projeto de paisagismo privilegiou áreas livres de construção no terreno para promover o aumento da biodiversidade local.

Para minimizar os impactos negativos à vizinhança durante a obra, a construtora implantou diversas estratégias para prevenir que os resíduos fossem espalhados pela região. Foram adotadas medidas como sistema lava rodas na entrada de acesso à obra, lava bicas móvel, proteção de taludes e encostas, minimização da poeira gerada com aspersão de água, retirada de sólidos suspensos antes do descarte das águas na rede de água pluvial, estabilização de vias e proteção das espécies vegetais existentes.

Centro Corporativo Portinari
Economia direta de água e energia para os usuários do edifício comercial. Foto: Divulgação/Centro Corporativo Portinari

Uso racional da água

Equipamentos eficientes como torneiras e chuveiros com baixa vazão, bacias sanitárias a vácuo e mictórios com fechamento automático foram instalados para reduzir o consumo de água.

O paisagismo adotou espécies vegetais que necessitam de menor quantidade de água, além de contar com um sistema de irrigação eficiente que usa fontes pluviais e de condensação dos aparelhos de ar-condicionado.

O consumo do recurso hídrico é monitorado e controlado por meio de sistema de automação predial. A redução foi de 49% nos sanitários e 100% no sistema de irrigação.

Consumo de energia

O Centro Corporativo Portinari reduziu 36% no consumo de energia elétrica. Para isso, realizou ações como: comissionamento dos sistemas que demandam energia; equipes capacitadas para operar os sistemas; fachada projetada para diminuição da carga térmica do edifício; instalação do sistema VRF com controle setorizado de temperatura; elevadores de alta performance com sistema de antecipação de chamada; e iluminação com lâmpadas LED de alta eficiência.

O consumo de energia também é gerenciado por meio da automação. Para captar energia renovável foram instaladas placas fotovoltaicas na cobertura do empreendimento, com previsão de gerar 92.564,00 kWh anualmente. Foi feita simulação energética computacional para comprovação as especificações do projeto.

Materiais e recursos

A construção priorizou a aquisição de materiais regionais, localizados a um raio inferior a 800 km do edifício. A utilização de madeira com a certificação ambiental foi incorporada em 54% do empreendimento. Materiais com conteúdo reciclado também foram utilizados na obra, cerca de 11,8%.

A destinação correta dos resíduos gerados na construção chegou a 76,35%. Vale dizer que para o uso e operação do edifício também foi implementado um depósito central de resíduos orgânicos e recicláveis.

Qualidade do ambiente interno

O projeto de ventilação mecânica atendeu as exigências normativas em relação à qualidade do ar, sistemas e equipamentos, taxas de renovação de ar e condições de operação do sistema. As taxas de renovação de ar excedem em 30% o mínimo exigido.

Os produtos usados internamente – como adesivos, selantes, tintas e revestimentos –  diminuem a quantidade de contaminantes no ar devido a baixa emissão de compostos orgânicos voláteis.

“A certificação representa um importante avanço ao desenvolvimento sustentável da indústria da construção civil de Brasília. Ela atesta que o Centro Corporativo Portinari foi construído para atender os quesitos necessários para garantir viabilidade econômica, proteção ambiental e responsabilidade social”, finaliza Leandro Miranda Alvares, engenheiro da Supera Engenharia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: