Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Nova sede da L’Oréal conquistou a certificação LEED-CS Gold e é exemplo de sustentabilidade para outras filiais da companhia.


green yearbook 2018


sede L’Oréal Brasil
Certificado LEED-CS Gold atesta alto nível de sustentabilidade do projeto. Foto: Divulgação/L’Oréal Brasil

Além do Especial AQUA-HQE, o Anuário Green Yearbook 2018 também destaca outros projetos sustentáveis Brasil afora, sejam eles certificados ou não. A sede da L’Oréal Brasil, inaugurada em 2017, é considerado pelo LEED o escritório mais sustentável do Rio de Janeiro. A certificação LEED-CS – para Envoltória e Estrutura Principal – atingiu o nível Gold e foi conquistada em julho de 2018.

O prédio, localizado no Porto Maravilha, possui 22 pavimentos e quatro subsolos, em uma área construída de 24 mil m². Buscando ser uma marca de referência em sustentabilidade, a L’Oréal Brasil assumiu o compromisso de não ser só exemplo na capital fluminense, mas também, dentro da próprio Grupo L’Oréal.

Alcançar o resultado positivo foi um marco para a filial, que ainda tem planos para implementar novos sistemas sustentáveis no prédio. Conheça os principais diferenciais sustentáveis da sede.

fachada L’Oréal Brasil
Empreendimento está localizado no Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/L’Oréal Brasil

Sítio e construção: 74,94% do total de materiais foram fabricados e extraídos dentro de um raio de 800 km do empreendimento, bem como 16,07% foram fabricados usando materiais reciclados e 88,19% do total de materiais à base de madeira são certificados de acordo com os princípios e critérios do Forest Stewardship Council (FSC). Para minimizar a ilha de calor foram incluídas áreas ajardinadas em alguns pavimentos e na cobertura. A maioria das plantas utilizadas no paisagismo são de espécies nativas;

Eficiência no uso de água: Para conseguir reduzir o consumo de água – o percentual diminuiu 51,01% –, o empreendimento adotou diferentes medidas sustentáveis. O sistema de irrigação do paisagismo reaproveita água da chuva, água cinza e condensado do ar-condicionado como fontes alternativas. Além disso, o sistema já é programado para consumir um menor volume de água (50%) como um todo. As águas cinzas também são reutilizadas nas descargas dos banheiros;

Energia e atmosfera: O edifício conseguiu uma redução de 23% em comparação com o baseline. Para tal, 100% da iluminação artificial são compostas por LED com sensores de presença ou dispositivos de programação. Todos os componentes do sistema de ar-condicionado instalados atendem ao Coeficiente de Performance mínimo especificado para o chiller, o que tem impacto significativo na eficiência energética do sistema e no custo operacional. Todos os motores elétricos dos ventiladores instalados nas unidades autônomas têm alta eficiência energética;

Gestão de resíduos: O empreendimento conta com uma área específica para a coleta seletiva de materiais orgânicos e recicláveis. Já durante o período de obras, as ações de gestão de resíduos ajudaram a destinar corretamente 94,84% dos resíduos gerados no local;

Conforto ambiental e saúde: Todos os espaços ocupáveis são ventilados com vazão de ar externo de acordo com a norma ASHRAE. Além disso, foram implementadas medidas de controle da prática de fumar tanto no interior quanto no exterior do edifício a fim de garantir a qualidade interna do ar. Os sistemas de ar-condicionado e refrigeração minimizam ou eliminam a emissão de componentes prejudiciais à camada de ozônio. Os produtos adesivos e selantes usados para impermeabilização estão em conformidade com os limites de compostos orgânicos voláteis;

Inovação e processos: A sede da L’Oréal Brasil alcançou performance exemplar ao demonstrar que 100% das superfícies impermeáveis no telhado foram construídas com alto albedo ou pavimento de malha aberta, que serão sombreados dentro de 5 anos ou que 100% das vagas de estacionamento locais tenham sido localizadas no subterrâneo ou abaixo de coberturas. Cerca de 70,34% da superfície do telhado do prédio é coberto pela vegetação.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: