Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Além de ser o 500º edifício certificado AQUA-HQE, Amadis é o primeiro empreendimento a conquistar o selo para Habitação Social.


green yearbook 2018


fachada Amadis
Amadis é o primeiro empreendimento Minha Casa Minha Vida da Tarjab na cidade de São Paulo. Foto: Divulgação/Tarjab

Por muito tempo a sustentabilidade esteve atrelada a empreendimentos de alto padrão, que possuem um grande aporte financeiro para investir em tecnologias e soluções sustentáveis de última geração. Mas, na verdade, a sustentabilidade nunca esteve restrita apenas a este tipo de edificação, podendo ser atendida pelos mais variados tipos de projetos, inclusive aqueles de habitação popular.

Esta é uma tendência que está em uma crescente curva no Brasil nos últimos anos e que, agora, começa a mostrar os frutos para o mercado construtivo. Entendendo esta demanda do setor, a Fundação Vanzolini lançou o selo AQUA – Habitação Social, que adere aos referenciais técnicos em níveis mais baixos de exigências – chamados de Base –, para que estes também possam receber a certificação e atestar a sua sustentabilidade.

“Essa certificação exige os mesmos requisitos do AQUA-HQE, só que em níveis mais adequados aos empreendimentos para fins sociais. O processo está disponível para empreendimentos entre as faixas 1 e 3 do programa Minha Casa Minha Vida e deve ser adotado gradualmente no mercado”, afirma Manuel Carlos Reis Martins, coordenador executivo da Fundação Vanzolini.

O primeiro empreendimento AQUA-HQE para habitação social foi o Amadis Condomínio Clube, da Tarjab Incorporadora – a consultoria sustentável foi da empresa proActive. Além deste feito essencial para ao desenvolvimento sustentável do País, outra marca histórica acompanha este case: o 500º edifício certificado com o selo AQUA-HQE no Brasil.

“Acreditamos que a sustentabilidade deve estar presente em todos os âmbitos e padrões. A certificação AQUA – Habitação Social é um grande passo para que todos tenham essa percepção”, diz Sérgio Domingues, diretor-técnico da Tarjab.

O Amadis é o primeiro empreendimento Minha Casa Minha Vida da Tarjab na cidade de São Paulo. Reduzir a qualidade do condomínio por ser voltado para habitação popular nunca foi uma opção para empresa. Este pensamento foi o que garantiu o certificado na fase pré-projeto.

“Um empreendimento de qualidade e sustentável não é necessariamente caro, existem níveis mínimos que são plenamente possíveis de serem atendidos para qualquer padrão de edifício”, afirma o diretor-técnico da construtora. “A sustentabilidade pode ser alcançada por meio de economia de água e energia, gestão de resíduos, utilização de materiais certificados e com maior durabilidade. Além disso, existem itens que são implantados através da conscientização e mudança na atitude e na postura dos envolvidos, que não demandam gastos”, complementa Sérgio.

Sítio e construção

imagem projetada do Amadis
500º edifício certificado pelo AQUA-HQE e primeiro com o selo para Habitação Social. Foto: Divulgação/Tarjab

O local da construção passou por uma análise completa para identificar as potencialidades e desafios do terreno, além de reconhecer os parâmetros para desenvolver um projeto coerente com o entorno.

O paisagismo especificou espécies nativas ou bem adaptadas, com o intuito de reduzir as necessidades de irrigação e manutenção. As árvores foram mantidas na calçada.

As áreas externas foram previstas para serem acessíveis e com iluminação artificial confortável, favorecendo a segurança e a qualidade dos deslocamentos dos usuários em qualquer horário do dia. O projeto também prevê a existência de bicicletário e proximidade de diversos modais, favorecendo a mobilidade urbana.

Entre as exigências do canteiro sustentável, vale ressaltar: parceria com fornecedores comprometidos com a sustentabilidade, diminuição de impactos ambientais e de incômodo aos vizinhos.

Eficiência no uso de água

Para otimizar o uso de água, o projeto prevê a adoção de medidas que resultam em economia direta, como a instalação de aparelhos com dispositivos economizadores e reguladores de vazão, bacias sanitárias com dispositivo de duplo acionamento e torneiras das áreas comuns com fechamento automático. A estimativa é reduzir de 30% a 40% no consumo do recurso.

Energia e atmosfera

O planejamento para economia de energia especificou equipamentos e sistemas que garantem melhores níveis de eficiência energética, a fim de alcançar uma redução significativa no consumo de energia elétrica. Estão previstas instalações preparatórias para receber um sistema de aquecimento de água através de placas solares, combatendo assim um dos pontos que mais consomem energia em condomínios residenciais. Com as medidas implantadas, espera-se diminuir 25% o consumo anual.

Gestão de resíduos

O Amadis terá depósitos destinados a resíduos recicláveis e orgânicos, dimensionados de acordo com a quantidade de moradores do condomínio e levando em consideração a frequência de coleta seletiva externa da região. O projeto ainda mantém o cuidado com a higienização correta destes depósitos a partir de revestimento especificado e instalações hidráulicas adequadas para facilitar a limpeza.

Conforto ambiental e saúde

O projeto concentrou grandes esforços no conforto ambiental e na qualidade dos espaços, ar e água, com o intuito primordial de garantir a saúde dos seus usuários. Ele aderiu ao conforto higrotérmico – por meio da utilização de materiais e sistemas que favoreçam o conforto térmico e a ventilação natural, além de tratamento térmico na cobertura –, conforto acústico e visual – atendendo aos níveis mínimos da norma de desempenho para ambos e tomando cuidado para que nenhum obstáculo interfira nas vistas dos apartamentos – e conforto olfativo – adequando o sistema de esgoto e projetando áreas técnicas para garantir boa ventilação e dissipação dos odores.

Os espaços comuns também foram projetados respeitando à norma de acessibilidade, criando um projeto luminotécnico que maximiza sensação de conforto e segurança, acesso de pedestres com clausura e garantia de condições de higienização.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: