Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Trabalho da Abissal visa criar negócios com iniciativas e valores sustentáveis agregados, capazes de dialogar com uma nova safra de consumidores.


green yearbook 2018


abissal presta consultoria sustentável
Objetivo é criar uma cultura sustentável dentro de empresas privadas. Foto: Pixabay/PIRO4D_2631841

A Abissal Capitalismo Saudável foi fundada em 2006 com o propósito de levar às empresas privadas e ao mercado em geral o conceito e as práticas em torno do desenvolvimento sustentável. Para isso, a empresa realiza uma intervenção profunda na gestão dos seus clientes, passando por todos os níveis do negócio.

O principal serviço oferecido é o desenvolvimento de uma gestão sustentável, que cria, otimiza, elimina ou minimiza alinhamentos estratégicos, políticas, intervenções e ações que coloquem o negócio no caminho da sustentabilidade. Outro serviço é o pleito a selos e certificações, que parte de uma realidade do negócio, cruzando com a vocação do empresário e as possibilidades que o cliente tem de se pautar por certas referências do mercado.

O trabalho da Abissal é definido como uma orientação estratégica junto à gestão e uma operação prática junto aos departamentos e stakeholders dos clientes. Por isso, ele é feito em conjunto, de preferência com membros de conselho e diretoria ou, até mesmo, proprietários. Isso se faz necessário porque as propostas realizadas requerem alinhamento estratégico e uma ordenança central para que as ações, intervenções e atividades nos diversos departamentos sejam aderidos de forma plena e constante.

“Quando a direção está definida, intervimos com ferramentas, conteúdos e orientações táticas e operacionais aos líderes de cada departamento/núcleo ou stakeholders do negócio. As necessidades e expectativas dos clientes são levantadas e alinhadas nas fases de diagnóstico e planejamento, então, o trabalho é executado a partir destas necessidades e visando saldar as expectativas”, afirma Camila Storti, sócia-fundadora da Abissal.

Caminho sem volta

Para Camila, uma gestão em torno da sustentabilidade não é um ato de ativismo social nem ambiental, tampouco visa apenas o lucro. Equilíbrio é a palavra-chave com a qual os negócios devem se deparar atualmente para transgredir por esta fase de transformação pela qual o mundo está passando.

Os negócios têm condições e oportunidades de se anteciparem em postura e iniciativas para criar marcas com valores agregados e dialogar com uma nova safra de consumidores que possuem valores enraizados e alinhados com a sustentabilidade.

“O maior benefício é a implantação de uma nova cultura na empresa, que propague um propósito coerente com o negócio em si e com a necessidade vigente do mundo de fazer negócios com menos impacto negativo e mais positivo, alcançando melhores lucros que vão além do simples retorno financeiro”, explica.

Entre os desafios, há muitas empresas que já têm em seus fundadores ideais alinhados com a sustentabilidade. Nestes casos, o esforço deve ser focado em transferir estes atributos aos demais departamentos e colaboradores para que a prática realmente aconteça. Em outras situações, o ponto de partida é a concepção ou o encontro do seu propósito alinhado com a sustentabilidade.

De acordo com Camila Storti, o mercado empurra as empresas para esta nova realidade sustentável. “Os consumidores, com seu poder de compra, deixarão cada vez mais claro que este esforço não só é gratificante, como também compensa”, complementa a executiva.

Cases na construção civil

Trabalho da Abissal é realizado em parceria com os seus clientes
Trabalho da Abissal é realizado em parceria com os seus clientes para alcançar resultados mais efetivos. Foto: Pixabay/rawpixel_3152586.

Entre os clientes do setor construtivo atendidos pela Abissal está a SIM Engenharia, situada na capital de Goiás – saiba mais sobre a SIM Engenharia nesta matéria. A construtora tem interesse em tornar a sua gestão mais sustentável e não somente um produto em específico, por isso, tomou a decisão de se certificar pelo Sistema B.

Segundo Camila, estão sendo implementados e registrados diversos programas com fornecedores, colaboradores, clientes, mercado e em torno do meio ambiente para pleitear o selo no ano que vem.

“É importante gerar uma nova cultura. A proposta da SIM, desenhada em conjunto conosco, é influenciar o mercado imobiliário em torno disso. É uma mudança de cultura no mainstream da construção e da incorporação. Quando você tem um produto com quesitos sustentáveis, ele acaba influenciando outras construtoras a seguir o exemplo”, conclui.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: