Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Empresas têm implantado programas de sustentabilidade voltados para públicos externo e interno. Profissionais qualificados ganham novas oportunidades.

novas profissões ligadas à sustentabilidade
Novas profissões ganham espaço com a demanda sustentável da sociedade. Foto: Pixabay/rawpixel_2081907

É errado pensar que profissões ligadas à sustentabilidade irão perder força daqui a alguns anos. A situação, na verdade, se desenha de forma oposta a este pensamento. O campo da sustentabilidade ganha cada vez mais aliados na medida em que o tema se torna recorrente tanto na sociedade quanto no mundo corporativo.

Hoje em dia, a sustentabilidade é parte intrínseca – ou ao menos deveria ser – de algumas profissões. O Going Green Brasil produziu uma série de matérias sobre as principais formações profissionais dentro da construção civil. Nos dois primeiro capítulos, mostramos como os graduandos dos cursos de engenharia civil e arquitetura e urbanismo aprendem a lidar já nas salas de aula com conceitos de trabalho mais sustentáveis.

Esta base aprendida dentro das faculdades é fundamental que novos profissionais cheguem ao mercado de trabalho mais qualificados e conscientes de suas responsabilidades e do papel da construção civil – além de suas áreas correlatas – no que se refere ao desenvolvimento sustentável das sociedades como um todo.

Saiba mais: Como a sustentabilidade é abordada no curso de engenharia civil?

Saiba mais: Como a sustentabilidade é abordada no curso de arquitetura e urbanismo?

Novos campos de trabalho

Além de aprimorar a formação de profissionais importantes para a atividade da construção – como arquitetos, urbanistas, engenheiros, designers, projetistas, entre outros –, a sustentabilidade também é responsável por criar novas demandas de trabalho no mercado, desta forma, impulsionando o crescimento de novos campos de trabalho.

“Estratégias relacionadas à sustentabilidade estão cada vez mais sendo implementadas na gestão de empresas, que oferecem oportunidades para profissionais de diferentes áreas”, afirma Luana Marley, assessora de carreira da Catho – empresa on-line especializada em recrutamento de currículos e vagas.

Nos últimos 10 anos, a preocupação com questões globais como mudanças climáticas, utilização e preservação de recursos naturais, desenvolvimento de tecnologias limpas e a cultura do consumo consciente fez com que a sustentabilidade ganhasse maiores proporções.

Com isso, diversas empresas têm aderido a programas sustentáveis e de conscientização de seus colaboradores e clientes, além de buscarem uma forma de atuação mais justa em níveis ambientais, sociais e econômicos. Este também se tornou um ponto importante na estratégia de organizações de conquistarem mais visibilidade no mercado e fortalecendo uma imagem positiva da marca.

“O mercado tem se preocupado com o controle de impactos ambientais e as empresas vêm adotando uma postura mais positiva, implementando práticas sustentáveis a fim de cumprir as exigências legais, mas, também, para obter vantagens competitivas frente aos segmentos de atuação”, diz Luana.

Contudo, segundo a assessora de carreira da Catho, muitas corporações não aderiram a esta nova realidade. “Ainda é um ponto que podemos considerar como um diferencial. Desta forma, as empresas que já trabalham com um planejamento estratégico baseado no desenvolvimento social e sustentável têm ganhado mais espaço e destaque no mercado de trabalho”, completa.

Perfil profissional

A procura por especialistas no tema tem gerado novas profissões e boas oportunidades no mercado de trabalho. Para aqueles que desejam trilhar este caminho, em muitos casos é mais importante ter um aprimoramento profissional e um perfil empreendedor para implantar e atestar práticas sustentáveis do que uma formação já direcionada especificamente para aquela área de atuação.

Tanto uma pessoa graduada em administração de empresas quanto um engenheiro ambiental podem atuar no cargo de gerente de sustentabilidade em organizações do ramo da construção civil. As principais funções são voltadas para o desenvolvimento de projetos socioambientais, análise de viabilidade de implantação, desenvolvimento de parcerias entre empresas públicas e privadas, controle e planejamento orçamentário.

O papel do gerente de sustentabilidade é disseminar conceitos e informações internamente, construindo e fortalecendo uma cultura corporativa sustentável. Segundo Luana Marley, as qualidades mais procuradas estão relacionadas com a habilidade de integrar o negócio com políticas e gestão mais sustentável. Entre elas, destacam-se:

  • Visão estratégica: é necessário ter uma visão ampla do negócio, portanto, buscar conhecimentos é primordial;
  • Habilidades analíticas: compreender o tempo em que se vive e entender as questões para analisá-las adequadamente;
  • Compromisso social: trabalhar com foco na melhoria da qualidade do meio ambiente, além de criar, desenvolver e apoiar programas voltados à sustentabilidade.

As possibilidades de atuação também são amplas do ponto de vista do profissional. Além de trabalhar internamente em empresas que tenham a sustentabilidade como um ponto estratégico, os profissionais podem se voltar para as áreas de consultoria, certificação, recuperação, geoprocessamento e, até mesmo, extração de recursos naturais.

  • Consultoria: prestação de assessoria às empresas e aos órgãos públicos no desenvolvimento e na aplicação de seus próprios projetos para a preservação do meio ambiente;
  • Certificação: realização da implementação de melhorias nos processos de produção para reduzir a emissão de poluentes resíduos de acordo com a legislação vigente, além de elaborar as certificações;
  • Recuperação: responsável pela avaliação da situação de áreas já degradadas e implantação de projetos para a recuperação da biodiversidade local;
  • Extração de recursos naturais: acompanhamento da exploração de matérias-primas para garantir que as técnicas utilizadas pelas empresas gerem o menor impacto possível ao meio ambiente.

Gestão de energia renovável

energia renovável
Energia renovável tem grande potencial na geração de empregos. Foto: Pxhere/rawpixel.com_1432425

Segundo um levantamento de 2017 elaborado pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA, sigla em inglês), a energia renovável empregou 10,3 milhões de pessoas no mundo, de forma direta e indireta, naquele ano. Os números englobam a geração de energia por fontes hidroelétrica, energia solar fotovoltaica, energia eólica, biocombustíveis, aquecimento solar, entre outras.

O Brasil é um dos países que lideram a geração de emprego no mercado de energia renovável, ao lado de China, Estados Unidos, Índia, Alemanha e Japão – juntos, representaram mais de 70% dos empregos no setor mundialmente em 2017. As oportunidades são voltadas para cargos de planejamento e gestão, produção e instalação de equipamentos e, também, controle de eficiência energética.

A indústria é o setor econômico que mais consome energia no Brasil, mas, também é preciso se atentar ao consumo do recurso no mercado de construção imobiliária. A qualificação de profissionais para atuar nesta área é fundamental para ter um diferencial no mercado competitivo, diminuir os impactos ambientais e os custos financeiros com energia elétrica. O especialista em edificações sustentáveis é uma profissão que vem crescendo muito nos últimos anos, devido, principalmente, ao fato de novos edifícios buscarem certificações sustentáveis.

Desde 2011, a Câmara Brasil-Alemanha – em parceria com a Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) – promove o curso de Energy Manager – Pós-graduação em Gestão de Energia. A 6ª turma do programa será realizada a partir de março e as inscrições podem ser feitas por meio do site oficial – mais informações neste link.

A grade curricular visa aprimorar o conhecimento de profissionais para atuarem como gestores de energias renováveis, capacitando-os para planejar, implementar e gerir projetos eficientes no âmbito energético.

“O curso oferece qualificações concentradas em três pilares, sendo eles eficiência energética, geração de energia e comercialização de energia elétrica. Esses são três vetores fundamentais para quem atua com gestão de energia”, diz Ricardo Gedra, coordenador da pós-graduação em Gestão de Energia.

Segundo Gedra, o consumo do recurso é vital para a sobrevivência de um negócio, uma vez que o uso ineficiente traz prejuízos financeiros direta e indiretamente. “O profissional com profundo conhecimento em gestão de energia tem enorme valor de mercado, pois ele é capaz de identificar como reduzir despesas com este insumo fundamental para as suas operações. Por esse motivo que a sua atuação é muito bem vista pelo mercado”, diz o coordenador.

Se antes as metas sustentáveis eram obrigação apenas de órgãos públicos, hoje em dia, a iniciativa privada deve ter plena consciência de que precisam operar de forma sustentável, colocando o tema como um pilar estratégico para suas atividades.

Carreiras do futuro

gestão de resíduos é fundamental para a sustentabilidade da empresa
Gestão de resíduos é fundamental para a sustentabilidade da empresa. Imagem retirada do Google.

Ricardo Basaglia, diretor-executivo da Michael Page – consultoria especializada no recrutamento de alta e média gerência –, também ressaltou a importância de especialistas em gestão de resíduos. A sociedade produz, diariamente, uma enorme quantidade de resíduos, que devem ser destinados corretamente para mitigar os impactos ao meio ambiente.

A gestão adequada de resíduos é capaz de extrair fontes de energia ou insumos para demais setores, além de incentivar os setores de reciclagem e logística reversa e ter um papel importante no desenvolvimento do consumo responsável.

“Cuidar da produção de resíduos será determinante para o nosso sucesso na experiência de viver no planeta e evitar não apenas degradação ambiental, mas o desperdício de fontes de energia e potencial criativo da reciclagem. O lixo não pode mais ser encarado como um campo meramente de contenção higiênica para a sociedade. A gestão de resíduos vai demandar tecnologia de ponta, estrutura de pesquisa, armazenamento e até de negociação, a partir do momento em que os resíduos possam dar formar a novos componentes”, afirma Basaglia.

Confira outras profissões impulsionadas pelo desenvolvimento sustentável:

Consultor ambiental: Presta consultoria na implementação de projetos de gestão ambiental, elabora processos de tratamento de efluentes, acompanha análises físico-químicas e microbiológicas e define plano de gerenciamento de resíduos.

Engenheiro ambiental: Desenvolve soluções para problemas ambientais como poluição do solo, água e ar, descarte de resíduos sólidos, entre outros. Acompanha exploração dos recursos naturais, avalia impactos ambientais e da produção industrial e elabora projetos de sistemas hidráulicos e recuperação de áreas degradadas.

Gerente de responsabilidade social: Implementa e gere projetos sociais. Mobiliza e articula a comunidade, fazendo uso das parcerias para propiciar o desenvolvimento local. Garante a sustentabilidade das ações sociais.

LEED AP: Responsável pelo desenvolvimento de projetos de edificações candidatas à certificação ambiental LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

Designer de produtos sustentáveis: Responsável pelo desenvolvimento de produtos ecoeficientes, com o mínimo impacto ambiental.

Gestor da cadeia de fornecedores: Responsável pela garantia da adequação da cadeia de fornecedores, abrangendo as condições de trabalho, governança e impacto ambiental.

Going Green Brasil apresenta série de matérias sobre as principais formações profissionais dentro da construção sustentável. Confira como a sustentabilidade é abordada nos cursos de engenharia civil e arquitetura e urbanismo, além de uma matéria especial sobre as novas profissões sustentáveis no mercado. 
Total
9
Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: