Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ecco Tower, assim como os demais empreendimentos da Clavi Incorporações, conquistou a certificação concedida pela Fundação Vanzolini.


green yearbook


ecco tower entrada
Ecco Tower oferece conjuntos comerciais que unem conforto, tecnologia e sustentabilidade. Foto: Divulgação/Clavi Incorporações.

O edifício Ecco Tower, situado em Guarulhos (SP), é o primeiro projeto comercial da cidade certificado AQUA-HQE. Idealizado pela Clavi Incorporações, ele oferece conforto, segurança e modernidade para diversos tipos de negócios. Apesar de estar localizado em área predominantemente residencial, o empreendimento busca fortalecer a vocação comercial da região.

Todos os projetos da Clavi Incorporações são certificados pelo processo AQUA-HQE, os quais buscam causar o menor impacto ao meio ambiente, antes e após a construção, com a mínima extração de recursos naturais e uso consciente dos recursos finitos. Os cuidados adotados começam já na escolha do terreno, seguem com o desenvolvimento de todos os projetos antes do início das vendas e o controle rigoroso em cada etapa planejada.

O conceito é permeado pela integração entre tecnologia e meio ambiente, assim, as salas comerciais de todos os andares possuem iluminação e ventilação naturais. Um espaço aberto emoldura e valoriza a arquitetura, que aposta na simplicidade com sofisticação, somadas à diversidade e multiplicidade de elementos construídos.

A responsável pela construção do Ecco Tower foi a P4 Engenharia, enquanto o projeto arquitetônico foi de Jonas Briguer Arquitetura. A Sustentech prestou os serviços de consultoria de certificação. Confira abaixo os diferenciais sustentáveis:

Veja também: Sustentech aposta em consultoria com visão multidisciplinar e integrada

ecco tower
Ecco Tower recebeu a certificação AQUA-HQE. Foto: Divulgação/Clavi Incorporações.

Sítio e construção: Os projetos foram desenvolvidos tendo como princípio a seleção de produtos de fácil conservação e manutenção, sendo que os mesmos podem ser substituídos, repintados ou passarem por processos comuns de limpeza e manutenção.

O projeto estrutural permite uma ampla flexibilidade da planta tipo, que apesar de estar compartimentada em diversas salas pequenas, pode ser ampliada para salas maiores. A estrutura da circulação vertical (elevadores e escadas) foi concentrada no centro do edifício, diminuindo os custos da construção.

O empreendimento usou 100% de madeira incorporada no edifício (nas portas) certificada FSC e 100% das usadas no canteiro são provenientes de reflorestamento; 98% dos materiais em custo têm possibilidade de reúso e reciclagem; e 44% foram fabricados a menos de 300 km do canteiro.

Eficiência no uso de água: Para reduzir o consumo de água no edifício comercial, o projeto especificou a instalação de metais sanitários economizadores. O Ecco Tower possui captação e tratamento das águas pluviais da sua cobertura para aproveitamento na irrigação dos jardins e lavagem de piso. O projeto proposto tem uma redução de 35,37% em relação ao consumo do caso base.

Energia e atmosfera: O projeto da fachada foi desenvolvido visando eficiência energética e redução da transmitância ponderada. Além dos elementos de proteção solar previstos, como o próprio avanço das varandas e guarda-corpos, foram instalados vidros refletivos com controle solar nos guarda-corpos das varandas dos conjuntos. Também há grandes janelas em todos os conjuntos, que permitem entrada de luz suficiente para iluminar boa parte dos escritórios. Vale dizer que elas são sombreadas pelos terraços, evitando ganhos de calor excessivos. O consumo total do edifício é 5,70% inferior ao correspondente ao baseline.

Gestão de resíduos: As áreas de armazenamento de resíduos estão localizadas internamente nos pavimentos tipo e no térreo, devidamente protegidas e em condições de higiene adequadas. As salas de resíduos estão localizadas ao lado da escada de serviço e próximas aos elevadores, facilitando o acesso ao subsolo, que apresenta uma central de resíduos dimensionada com contentores maiores e balança de pesagem para controle da geração de resíduos.

Operação e manutenção: Os conjuntos foram entregues com a infraestrutura necessária para instalação de medidores setorizados de consumo de água. Através deles, será possível identificar possíveis existências de vazamentos. A equipe de manutenção pode ser acionada para verificar e corrigir, quando for o caso. Foi feita uma seleção de lâmpadas simplificada, reduzindo a variedade de modelos e facilitando o armazenamento para reposição.

Conforto ambiental e saúde: O edifício possui uma planta quadrada em 45º em relação ao Norte, recebendo menos insolação solar. Para garantir o sombreamento dos ambientes, há guarda-corpos e avanço das varandas técnicas funcionando como elementos de proteção solar em todos os conjuntos da torre. As áreas comuns e de circulações estão centralizadas, posicionando os ambientes ocupados nas extremidades do prédio, o que garante iluminação e ventilação natural. O projeto de ar condicionado das locações prevê um sistema de ventilação mecânica que garantem taxas de renovação independente das aberturas, com filtro G3+F5 para filtragem do ar externo, de forma a assegurar a qualidade do ar conduzido nos dutos.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: