Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Produtos da Maxi Paint são desenvolvidos com nanotecnologia aplicada na sua formulação e a base de água. São considerados altamente sustentáveis.


green yearbook 2018


Maxithermic, produto da Maxi Paint
Maxithermic, revestimento térmico, aplicado em cobertura de edificação. Foto: Divulgação/Maxi Paint.

Atuando no mercado desde 2013, a Maxi Paint do Brasil – empresa focada na fabricação de revestimentos especiais, situada na cidade de São Bernardo do Campo (SP) – sempre buscou alcançar um equilíbrio no desenvolvimento sustentável de seus produtos.

O negócio foi fundado por Carlos Storani que, desde o início da década de 1990, trabalha com o objetivo de criar uma linha de produtos sustentáveis e duráveis, sempre preservando o alto padrão de qualidade e performance.

A empresa começou suas atividades atendendo o setor industrial e, com o tempo, algumas demandas da construção civil começaram a surgir. Assim, foi preciso se ramificar e desenvolver produtos direcionados para cada mercado.

Os produtos da Maxi Paint são desenvolvidos com nanotecnologia aplicada na sua formulação e a base de água, portanto, são considerados altamente sustentáveis, gerando economia de recursos naturais, durabilidade, inovações e ações que mitigam o aquecimento global já que não possuem ações que emitem gases de efeito estufa.

A nanotecnologia permite conseguir um desempenho maior com o mesmo custo de um produto convencional, além de ser menos nociva ao meio ambiente. “Nossos produtos são voltados para revestimentos térmico e reflexivo, impermeabilizantes, acabamentos, entre outros. Todos são formulados para ter fácil aplicação, agilizando o trabalho e não aumentando os custos da edificação”, diz Carlos.

Segundo o executivo, é preciso fazer uma conta simples, que atesta o valor do custo-benefício. Hoje, o preço de uma lata de tinta térmica, por exemplo, é o mesmo que do produto convencional.

“A solução térmica vai trazer muito mais vantagens para a edificação, como diminuir a temperatura da superfície, aumentar a durabilidade da obra, combater a proliferação de fungos, evitar a absorção de água de vazamento ou da chuva, entre outros. O cliente paga o mesmo preço por um rendimento maior”, avisa Storani.

Maxithermic

Entre os destaques do portfólio da empresa está o Maxithermic, revestimento térmico com micro esferas cerâmicas aplicado em coberturas que refletem os raios solares, não passando o calor para o ambiente interno da edificação.

“Trata-se de um revestimento refletivo, que não absorve o calor do sol. Além de proteger termicamente, a película funciona contra corrosão, diminuindo a chance de rachaduras e fissuras. Dessa forma, a edificação tem uma durabilidade muito maior”, afirma Carlos.

O produto é feito na cor branca – embora uma variação esteja sendo estudada –, que usa o princípio da física de reflexão: cores escuras absorvem muito mais energia que o branco. Dois dos principais benefícios proporcionados pelo revestimento térmico são o combate às ilhas de calor e o maior conforto térmico ao usuário da edificação.

Graças ao seu desempenho sustentável, a aplicação do Maxithermic contribui para a pontuação final de créditos em prol da certificação LEED. “É possível conseguir uma redução de 5°C a 10°C em relação às ilhas de calor. A unidade que mede a capacidade de reflexão solar requerida pelo LEED é de 78. Com o nosso produto, podemos alcançar um número acima de 100”, diz o executivo.

O Maxithermic é um revestimento destinado apenas para a cobertura, diferentemente de tintas térmicas. Segundo Carlos, a diferença entre ambos está na sua espessura. Enquanto a pintura deve ter até 100 micrometros, o revestimento deve ser acima de 200 micrometros. Ao aplicar a solução nas telhas, diminui-se 50% da temperatura direta sobre a cobertura.

Outros benefícios são: redução de até 35% da temperatura interna; proteção contra corrosão, bactérias e fungos; maior eficiência energética; baixo peso sobre a cobertura; produto atóxico e sem cheiro; reduz a dilatação da superfície; auxilia a troca térmica; e durabilidade de até 20 anos.

O conteúdo completo desta matéria poderá ser conferido no Green Yearbook 2018 – Certificações e Sustentabilidade no Brasil. Acompanhe o Going Green Brasil para mais conteúdos exclusivos do Anuário nos próximos dias. Para saber como participar envie uma mensagem pelo e-mail info@goinggreen.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

%d blogueiros gostam disto: