Economia pode chegar a 20 mil litros de água por dia, apenas com reúso das gotas criadas a partir da condensação. Outras tecnologias agregam mais sustentabilidade ao edifício.

água ar-condicionado
Canaletas por onde escoam as águas na chuva no topo do Órion Complex Foto: Lorena Lázaro

Um sistema inédito em Goiás capta e reutiliza a água que goteja nos drenos dos aparelhos da central de ar-condicionado. O volume é armazenado em um reservatório onde é filtrado e direcionado para diversos usos do condomínio, formando um eficiente ciclo de reciclagem do recurso natural.  Isso só é possível por causa da robustez do projeto arquitetônico do Órion Business & Health Complex, no Setor Marista, em Goiânia, inaugurado em 2017. A condensação do ar-condicionado do mixed use, com 191 metros de altura, poderá chegar a 20 mil litros por dia, considerando o empreendimento em sua plenitude. 

A água é aproveitada para uso na limpeza do prédio e manutenção das plantas, gerando uma economia para a natureza e para os condôminos. “Só a irrigação de jardins no Órion consome cerca de 35 m³ por dia”, informa o engenheiro civil e um dos sócios do Órion Complex, Frank Guimarães, ao lembrar que normalmente este gotejamento é desperdiçado. “Fazemos o reúso e deixamos de consumir água tratada que serve a mais pessoas”, diz. Para efeito de comparação, essa economia é suficiente para suprir a necessidade diária de 134 pessoas, tendo em vista o cálculo da Agência Nacional de Águas, para quem cada pessoa consome no Brasil, em média, 150 litros de água por dia.

Captação de água das chuvas

O arranha-céu também possui um segundo sistema que recolhe e armazena a água da chuva que cai sobre as lajes impermeabilizadas nos períodos chuvosos, quando já chegou a reter 35 m³ por dia.  A economia com água no edifício, considerando a captação do ar-condicionado e da chuva, pode atingir até 25% ou 30%, dependendo da estação do ano. “O projeto estrutural do Órion Complex foi todo concebido levando esse conceito de economia de recursos”, comenta Frank.  Dois tanques, com capacidade de 16.800 litros e 35.700 litros, respectivamente, são usados nesses processos. 

O engenheiro civil acrescenta, em relação à captação pluvial, que o lençol freático também pode ser beneficiado com esse mecanismo. É que quando os reservatórios estiverem cheios, com água sobrando, o volume excedente será direcionado para os chamados tanques de infiltração, que fazem com que a água retorne ao lençol freático, de forma suave. 

Economia de eletricidade

Frank comenta que o sistema de ar-condicionado leva também a uma economia de até 40% na energia elétrica. Por ser dotado de inteligência artificial e mecanismos de última geração, o aparato consegue medir a demanda dentro do edifício para acionar o número exato de bombas hidráulicas necessários para atender à necessidade do momento. Se, por exemplo, o clima do dia favorece um ar mais fresco e o número de pessoas dentro do prédio não gera tanto calor na hora, o sistema, ao invés de acionar as três bombas, vai ligar apenas uma ou duas, ou mesmo diminui a frequência de rotação das bombas, conforme o necessário para garantir o conforto térmico no interior do complexo. Outro fator que auxilia na economia é a redução da carga de trabalho no sistema gerada pelos “Shadow Box”, ou caixa de sombras, que estão atrás dos vidros que recobrem a fachada do Órion. Eles conseguem reter os raios solares que batem no prédio, diminuindo a temperatura em seu interior.

Órion Complex foi projetado para aproveitar águas das chuvas e do sistema de ar-condicionado. Foto: Divulgação

O Órion Complex é um conjunto de empreendimentos, sendo a maioria deles segmentado na área da saúde. Além de 673 clínicas médicas e salas comerciais, o mixed use conta com um shopping especializado na área da saúde e um hotel de luxo, de bandeira Clarion, equipado com 160 acomodações. O complexo imobiliário inaugurou em 2019 um hospital de alta complexidade, com 240 leitos em apartamentos de alto padrão, sendo o primeiro hospital geral privado de Goiânia. A estimativa dos sócios do edifício é que 12 mil pessoas circulem diariamente pelo Órion, quando todas as operações estiverem em funcionamento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: