Reparar os danos da pandemia e criar condições para combater as mudanças climáticas, essa é a recuperação pensada por Boris Johnson

Em artigo no prestigiado Financial Times, o primeiro ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou um plano recuperar o país, que vai contar com diretrizes de sustentabilidade.

Batizado de Revolução Industrial Verde, o plano prevê investimentos de 12 bilhões de libras e a criação de até 250 mil empregos verdes. A ideia é incentivar a produção de energia de hidrogênio, utilização de carros elétricos em larga escala, a descarbonização dos transportes, indústria e produção energética.

O plano, de 10 pontos, transformará o Reino Unido no centro número um do mundo em tecnologia verde e finanças, criando as bases para décadas de crescimento econômico.

Veja abaixo os 10 pontos propostos por Johnson:

1- Fazer do Reino Unido o maior produtor de energia eólica com capacidade offshore suficiente para abastecer todas as residências até 2030;

2 – Transformar água em energia com até 500 milhões de libras de investimento em tecnologia do hidrogênio;

3 – Remodelação dos planos para nova energia nuclear, de grande escala a reatores modulares pequenos e avançados;

4 – Investir mais de 2,8 bilhões de libras em veículos elétricos, enlaçando o terreno com pontos de recarga e criando baterias de longa duração nas fábricas do Reino Unido, encerrando a venda de novos carros e vans a gasolina e diesel em 2030, permitindo a venda de carros e vans híbridos que podem percorrer uma distância significativa sem nenhum carbono saindo do escapamento até 2035;

5 – Transporte público mais limpo, incluindo milhares de ônibus verdes e centenas de quilômetros de novas ciclovias;

6 – Realizar esforços para o primeiro vôo transatlântico sem escalas com um avião de emissão zero. E também com os navios;

7 – Investir 1 bilhão de libras, no próximo ano, para tornar casas, escolas e hospitais mais sustentáveis e eficientes e reduzir as contas de energia;

8 – Estabelecer uma nova indústria líder mundial em captura e armazenamento de carbono, apoiada por 1 bilhão de investimentos do governo para aglomerados no Norte, País de Gales e Escócia;

9 – Aproveitar a capacidade da natureza de absorver carbono, plantando 30.000 hectares de árvores por ano até 2025 e remodelando 30.000 campos de futebol de campos;

10 – Utilizar um fundo de inovação em energia de 1 bilhão de librar para ajudar a comercializar novas tecnologias de baixo carbono, como a primeira bateria de ar líquido do mundo sendo desenvolvida em Trafford, e fazer da cidade de Londres o centro global de finanças verdes por meio de título soberano, mercados de compensação de carbono e requisitos de divulgação. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: